Cross Docking: o que é

Quando finalizamos uma compra na internet, nossa vontade é que o item se materialize imediatamente na nossa frente. Enquanto isso não é possível, vamos melhorando e reinventando os processos logísticos existentes. E hoje vamos tratar de uma estratégia que vem ganhando mais visibilidade nos últimos anos! Vem comigo para saber o que é o Cross Docking! 😉

O que é Cross Docking?

Cross Docking é um sistema diferenciado de distribuição de cargas de forma que, ao chegarem no centro de distribuição, já existe toda uma estrutura para que as mercadorias sejam separadas e enviadas a seus destinatários imediatamente ou, no máximo, em 24 horas. A tradução literal de cross docking é cruzamento de docas, definindo assim uma estratégia logística que objetiva otimizar a distribuição das mercadorias.

Atualmente existem diversas formas de gestão logística, a qual envolve estoque, armazenamento e transporte. Nesse sentido, o Cross Docking apresenta-se como uma estratégia (em grego, strateegia) inovadora já que modifica os conceitos tradicionais de armazenamento, propondo a redução máxima, ou mesmo a eliminação, da estocagem dos itens comercializados pela empresa. O Cross Docking impacta até mesmo a gestão do transporte das cargas.

O Cross Docking vem ganhando bastante espaço entre as lojas que dispensam uma estrutura física mais robusta. Contudo, devido ao alcance de seus resultados positivos, também tem chamado a atenção dos variados tipos de negócios de um modo geral, não só do e-commerce.

Como funciona

Na cadeia de suprimentos tradicional, o armazém representa um elo fundamental responsável por conectar a oferta (fornecedores) à demanda (consumidores). Contudo, como esse fluxo é descontínuo, tendo em vista que a oferta e a demanda não estão sincronizadas, faz-se necessário o papel do armazém para que nele a mercadoria seja armazenada até que surja a demanda.

Já em uma operação logística na modalidade Cross Docking, os fornecedores entregam as mercadorias em um conjunto de docas, enquanto a equipe do armazém da transportadora ou operador logístico separa e organiza as cargas de acordo com os pedidos. Em seguida (até 24 horas) os lotes são acomodados nos veículos de entrega para seguirem até os destinos finais. 

Para ilustrar:

CROSS DOCKING: ENTENDA

Vantagens

  1. Redução de custo de estoque: Um dos primeiros reflexos do cross docking na otimização é a eliminação do estoque. Haverá uma área específica para a separação de pedidos, mas não é necessário ter um local para armazenar os produtos. Isso naturalmente implica em menos despesas. Por se tratar de uma dinâmica de trabalho mais enxuta, as operações ganham agilidade e os custos operacionais se reduzem.
  2. Agilidade na entrega: A agilidade é um dos grandes destaques da modalidade cross docking já que não há o armazenamento dos produtos: assim que chegam às docas, eles já são conferidos, separados e enviados para o cliente final. Dessa forma, o tempo de entrega é muito menor do que nos procedimentos comuns. 
  3. Redução de furtos: Como o tempo de permanência dos produtos no centro de distribuição é baixo, as mercadorias ficam menos expostas aos furtos, minimizando bastante esse que é um dos piores problemas com produtos em estoque.
  4. Melhor aproveitamento dos veículos: Tendo em vista a consolidação de cargas em rotas comuns destinadas a uma mesma localidade, é possível fazer um melhor aproveitamento do espaço útil nos veículos de entregas. Isto acaba se refletindo numa redução de custos e aumento da eficiência da transportadora.

Tipos de Cross Docking 

  1. Movimentação contínua: Nesse modelo de Cross Docking, as mercadorias não param. Elas são prontamente levadas para as docas de carga assim que são recebidos, a fim de que atinjam seu destino o mais rapidamente possível. É o tipo mais tradicional de Cross Docking.
  2. Movimentação híbrida ou consolidada: Esta modalidade alterna a distribuição e o envio imediato de parte da mercadoria com o direcionamento de alguns itens ao estoque. Dessa forma, o objetivo é que sejam combinados a outros produtos que para completar o pedido do cliente. Em suma, trata-se de quando nem todas as mercadorias chegam ao mesmo tempo e se espera para fazer uma única remessa.
  3. Movimento de distribuição: Esse último tipo de cross docking é bastante utilizado no modelo de negócio entre empresas (B2B – business to business). A ideia é separar os pedidos de um único cliente, que tenha volume suficiente para preencher a capacidade do veículo (cargas FTL – Full Truck Load).

Independentemente do tipo de Cross Docking utilizado, os produtos não passam mais de 24 horas no armazém / centro de distribuição.

O Cross Docking no comércio exterior

Como estamos num blog de comex, vamos falar um pouco do Cross Docking na logística internacional. Um exemplo claro que podemos citar é o que acontece diariamente nas exportações aéreas brasileiras. 

Normalmente, nos outros países, os agentes de cargas possuem um armazém próprio para efetuar alguns serviços. Dessa forma, o exportador envia sua mercadoria ao agente de cargas que a recebe e armazena antes de embarcar para o destino, verificando o estado geral das embalagens, se os volumes recebidos conferem com a documentação e coordenando o embarque de acordo com as instruções recebidas do agente do importador ou do próprio exportador.

👉 Veja aqui nosso artigo “Exportações de Guarulhos – SP

Já no Brasil, os agentes de cargas são escritórios que geralmente não possuem contato com a mercadoria, apesar de serem responsáveis pela emissão do AWB. Assim sendo, o exportador brasileiro envia a mercadoria diretamente para o aeroporto de embarque, configurando uma espécie de Cross Docking, ainda que precária, já que a mercadoria chega no aeroporto e lá mesmo são efetuados todos os procedimentos necessários para seu envio ao exterior.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre DU-E, DUIMP, Catálogo de Produtos e Drawback. 😉

Resumo

O que é Cross Docking

Cross Docking é um sistema diferenciado de distribuição de cargas de forma que, ao chegarem no centro de distribuição, já existe toda uma estrutura para que as mercadorias sejam separadas e enviadas a seus destinatários.

Quais são os tipos de Cross Docking?

Movimentação contínua, movimentação híbrida ou consolidada e movimento de distribuição.

Regis Thomé

Despachante Aduaneiro Certificado OEA, com pós-graduação em Comércio Exterior e mais de 25 anos de atuação na área aduaneira prestando serviços de assessoria e consultoria para diversos importadores e exportadores. É co-founder da Althomex Consultoria e escritor colaborador do blog da Fazcomex.

Mais produtividade na elaboração da DU-E, conheça o FCOMEX!