Importação de fertilizantes da Rússia

As sanções impostas à Rússia pelas nações do Ocidente ameaçam a importação de fertilizantes pelo Brasil e a produção de alimentos. De acordo com dados da Federação Única dos Petroleiros (FUP), o país importa 85% dos insumos utilizados em território nacional, principalmente da Rússia.

A dependência da importação para suprir o mercado doméstico deixa vulnerável o país, que é o quarto maior produtor de grãos do mundo e o segundo entre os exportadores. O artigo de hoje vai abordar a Importação de Fertilizantes da Rússia.

Quer saber mais sobre este assunto? Então pegue o seu café e continue conosco!

Vamos lá? 😉

Importação de fertilizantes da Rússia: Entenda

Adubos ou Fertilizantes são produtos de extrema importância para o Brasil e por este motivo as suas importações são muito altas, o que faz com que este produto seja o 1º principal produto importado pelo Brasil no ano de 2021.

A necessidade do Brasil pelo produto é bastante alta, principalmente em estados do sul e do norte do país, onde há uma alta plantação de produtos como a Soja e o Tabaco.

Brasil é o maior importador global de fertilizantes, em 2021 suas compras aumentaram 6,9%, se comparado ao ano de 2020.

Conforme dados do ComexStat, a Rússia é o principal país de onde o Brasil importou Adubos e Fertilizantes em 2021 e permanece sendo o principal em 2022. Em seguida vem a China com participação de 14% nas importações, tendo sido importados do país US$ 2,1 bilhões no ano de 2021.

👉 Confira os dados também das Exportações para a Rússia!

Confira na imagem:

Fonte: ComexStat – Dados do ano de 2021

De onde vem os Adubos e Fertilizantes importados pelo Brasil?

A seguir confira quais os principais países de onde o Brasil importou Adubos e Fertilizantes em 2021.

Países de Origem % Valor FOB US$
Rússia 23 3,5 bilhões
China 14 2,1 bilhões
Marrocos 11 1,59 bilhão
Canadá 9,8 1,48 bilhão
Estados Unidos 5,6 853 milhões
Catar 4,6 692 milhões
Bielorrússia 3,4 508 milhões
Arábia Saudita 3,1 465 milhões
Argélia 2,9 433 milhões
10º Alemanha 2,8 428 milhões

Fonte: ComexStat – Dados do ano de 2021

👉 Os fertilizantes químicos são uma ferramenta usada pelos agricultores para aumentar a produtividade do solo.

No caso dos fertilizantes, o Brasil tem o gás para obter os nitrogenados, por exemplo, mas não tem infraestrutura para o seu escoamento nas plataformas marítimas, perdendo parte expressiva do insumo. É do gás que sai o elemento químico necessário para obter os fertilizantes.

O Brasil tem apenas duas rotas de escoamento marítimo em funcionamento e algumas outras terrestres que levam aos centros de distribuição. O Brasil possui apenas 40 mil km de dutos para escoar o gás. Os Estados Unidos, por exemplo, possui 400 mil km.

👉 Quanto a crise entre Ucrânia e Rússia, gigantes do Comércio Exterior já emitiram notas referente a este assunto, confira nosso artigo sobre MSC e Maersk interromperem o transporte marítimo para a Rússia!

Fertilizante x agrotóxicos

Os fertilizantes químicos funcionam como um tipo de adubo, usados para preparar e estimular a terra para o plantio. Já os agrotóxicos, também conhecidos como pesticidas e defensivos, são usados para proteger as plantações de pragas e animais.

Os agrotóxicos são divididos em três categorias, cada um com seu alvo em específico:

  1. Herbicida: age contra ervas daninhas
  2. Fungicida: contra fungos que causam doenças
  3. Inseticida: contra insetos

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback😉

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Resumo

Quanto o Brasil importa de fertilizantes da Rússia?

Em 2021, o Brasil importou um total de US$ 3,5 bilhões em fertilizantes da Rússia.

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.