Entenda mais sobre a Exportação de Máquinas Agrícolas

Máquinas agrícolas são máquinas utilizadas para ajudar na produção rural. Esses equipamentos, facilitam muito o trabalho rural, além de deixá-lo bem mais rápido, por isso são muito usadas por grandes produtores rurais.

As Máquinas Agrícolas são usadas, em menor escala, na agricultura familiar em hortas e pequenas plantações, e em maior escala em grandes plantações, fortalecendo assim a Agricultura em Larga Escala.

Falaremos agora, sobre as exportações no ano de 2019 do produto. Vem comigo!😉

Máquinas Agrícolas

Exportação de Máquinas Agrícolas

As exportações de máquinas agrícolas no ano de 2019 foram bastante baixas, se comparadas ao ano de 2018. Houve uma queda de quase 18% de um ano para o outro. As vendas deste produto pela indústria brasileira somaram 43,7 mil unidades em 2019, contra 47,7 mil no ano anterior, em receita foram registrados US$ 535 milhões no ano (2019), isso foi o que mostrou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

O ano de 2020, até o momento, aparece superando o mesmo período do ano de 2019 e registrou de janeiro a março uma receita de US$ 135 milhões, contra apenas US$ 120 milhões em 2019.

Para onde o Brasil exporta Máquinas Agrícolas

A seguir, vamos conhecer quais foram os principais países para onde o Brasil exportou Máquinas Agrícolas no ano de 2019

 País de DestinoValor FOB
Argentina107 milhões
Paraguai80 milhões
Tailândia48,7 milhões
Estados Unidos38,8 milhões
Bolívia37 milhões
Colômbia24,2 milhões
México17,3 milhões
Uruguai16,4 milhões
Senegal14,2 milhões
10ºPeru12,4 milhões

Fonte: ComexStat - janeiro a dezembro de 2019

Como podemos ver, as primeiras colocações na tabela são de países da América Latina, que pela proximidade com nosso país, facilitam na hora de exportar e seu uso de produtos de maquinário também é bastante alta. Aparece nesta tabela também, Estados Unidos, o qual gerou em receita no ano de 2019 um total de US$ 38,8 milhões.

O Brasil, além de exportador do produto, também é um grande produtor do mesmo e os principais estados que produzem são: São Paulo, Rio grande do Sul e Santa Catarina.

História das Máquinas Agrícolas

As primeiras máquinas criadas foram as segadeiras, ou ceifadeiras, para a colheita de grãos em 1780 na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos — efetivamente utilizadas em 1833. Até a década de 1860, as ceifadeiras para trigo e feno evoluíram bastante, motivando a criação de outros implementos agrícolas.

Nesse período, os Estados Unidos se tornaram o palco do desenvolvimento tecnológico das máquinas do campo, especialmente pela iniciativa de fomentar a evolução do setor.

Um dos grandes destaques de inovação dessa época foi a máquina que tirava o caroço do algodão. Esse era um processo que demandava muita mão de obra e levava muito tempo. Com a nova tecnologia, o processo se tornou mais rápido e barato, gerando um grande aumento na produtividade.

Os americanos também foram os grandes incentivadores na evolução da tração humana e animal para a força mecânica. Foram eles que implementaram o uso de tratores e outras máquinas movidas a vapor.

A mecanização no campo se tornou uma tendência irreversível já no início do século XX, quando a venda desses implementos agrícolas cresceu em grande escala. Mas foi somente após a Segunda Guerra Mundial que a tração manual foi totalmente substituída pela força mecânica nas lavouras da América do Norte e da Europa (sendo a Itália uma exceção, já que demorou mais tempo para converter seus métodos artesanais).

Com o tempo, foram sendo agregadas às máquinas novas tecnologias que aumentavam sua produtividade e reduziam custos e desperdícios. Por exemplo, a roda de ferro foi substituída pelo modelo pneumático de borracha e o sistema de controle hidráulico foi melhor desenvolvido.

O que é Logística Internacional?

A Logística Internacional é uma ferramenta fundamental para a expansão do comércio exterior, e deve ser utilizada de forma estratégica para diferencial competitivo nas negociações internacionais.

A globalização tem tornado as empresas cada vez mais competitivas e com conceitos modernos aos seus procedimentos, negócios e produtos. Esse processo está integralmente ligado aos processos de compra, armazenagem e distribuição das mercadorias.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

Sinara Bueno
Leandro Sprenger

Empreendedor, Apaixonado por Tecnologia, Especialista em TI para Comércio Exterior e responsável pela criação de diversos sistemas de BI para Comex por mais de 15 anos. Co-criador da Plataforma de Ensino SimulaComex e do Sistema FComex.