Exportação de Aviões

Em 2019, a exportação de aviões passaram por uma queda quando falamos em toneladas exportadas, porém, mesmo assim, o produto alcançou o 10º lugar no ranking nas exportações da Indústria da Transformação; 15º lugar no ranking das exportações totais.

Sendo considerado um dos principais, mais rápidos e seguros transportes aéreos, o avião é utilizado para transportar pequenas e médias cargas e pessoas. Com o uso intensificado após a Segunda Guerra Mundial, as exportações de aviões são bem quistas no Brasil — pelo menos até antes da pandemia, mas isso conversaremos depois.

Pegue o seu café e vamos começar com os fatos e dados, vem comigo!😉

Exportação de Aviões: dados

No ano anterior, 2019, as exportações de aeronaves e outros equipamentos, incluindo peças, chegaram na produção de 3.509,27 toneladas, arrecadando US$ 3.769,99 milhões, seu preço subiu em 2,2%, sendo avaliado em US$ 1.074,3 FOB/Kg

Já no primeiro trimestre de 2020, foram exportadas 488,81 toneladas, e arrecadado US$ 489,75 milhões. Sobre os rankings, no atual ano, ficou posicionado em 14º em exportações da Indústria da Transformação, e em 20º nas exportações totais. Até que isso é um bom começo, não acha?

Entre janeiro e dezembro de 2019, os estados brasileiros que mais exportaram foram, respectivamente: São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Rio Grande do Sul. Para ilustrar melhor:

Dados retirados de ComexStat – Janeiro até dezembro de 2019

Exportações de Aviões: destinos

Já quando falamos nos países destinos, os Estados Unidos dominaram, com participação das compras em 64%, seguido da França, com 6,3%, uma grande diferença, não é? Confira os cinco principais compradores:

Destinos das Exportações de Aviões  % Valor FOB US$
Estados Unidos 64% 2,4 Bilhões
França 6,3% 239 Milhões
Belarus 3,4% 128 Milhões
Espanha 3,1% 117 Milhões
Japão 2,9% 111 Milhões

Dados retirados de ComexStat – Janeiro até dezembro de 2019

 

O Cazaquistão ficou logo após o Japão, com 2,9% também, mas com a diferença de US$ 1 milhão. Após isso, países como Polônia, Alemanha, Suíça, Bélgica, Irlanda e Reino Unido aparecem na estatística, com valores FOB entre US$ 91,5 milhões e US$ 22,0 milhões.

Entre janeiro e março de 2020, os Estados Unidos permaneceram em primeiro lugar, enquanto as demais posições foram assumidas por Espanha, França, Kiribati, Suíça e Irlanda, respectivamente. 

Exportação de Aviões: fatos

Depois dessa chuva de informações, vamos falar sobre os fatos atuais que estão assombrando o mundo das aeronaves. Em abril de 2020, a Airbus, empresa aeroespacial e bélica, decidiu reduzir um terço de suas produções, a fim de entrar em ritmo de pandemia, uma vez que a maioria dos estabelecimentos e serviços estão em baixa produção ou paralisados. As produções da organização aérea foram estabelecidas com: aviões família, produção de 40 a 60 por mês; de longo alcance, dois por mês.

No mundo todo, aeroportos estão passando por uma situação inédita, aviões estacionados aos montes nas pistas. Segundo dados da Cirium, há em média de 15.200 aviões parados, no Brasil, houve queda de 85% no número de passageiros em voos domésticos durante o terceiro mês de 2020. Qual é o seu palpite para essa situação? Conta pra gente!

 

E ai, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.