Exportação de Calçados: Saiba mais

Em nosso artigo de hoje falaremos sobre as exportações brasileiras de Calçados.

No ano de 2019 as exportações de calçados somaram uma receita de US$ 967 milhões, conforme a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). 

Vamos conhecer melhor estes números e saber de para onde vão os calçados produzidos no Brasil e de quais estados normalmente eles saem.

Vem comigo:

Exportação de Calçados

As exportações brasileiras de calçados no ano de 2019 correspondeu a uma receita de US$ 967 milhões tiveram uma queda de 0,9% se comparadas ao ano de 2018. Foram mais de 114 milhões de pares de calçados exportados no ano.

Apenas em Dezembro houve o embarque de 10,35 milhões de pares de calçados, uma queda de 21% em relação ao mesmo mês de 2018. Em valor, houve redução de 17,2%, para US$ 80,73 milhões.

Para Onde vai as Exportações de Calçados do Brasil

Vejamos agora principais destinos da calçados no ano de 2019:

País de destino

Valor FOB US$

Estado Unidos 198,96 milhões
Argentina 104,94 milhões
França 60,49 milhões
Bolívia 45,46 milhões
Paraguai 40,96 milhões
Colômbia 37,86 milhões
Chile 37,63 milhões
Peru 35,98 milhões
Equador 35,71 milhões
10º Reino Unido 24,53 milhões

Podemos ver que o principal destino dos calçados produzidos pelo Brasil foi sobretudo os Estados Unidos e representou 20% de todos os destinos, seguido da Argentina representando 11%.

Os estados Brasileiros que mais exportam o produto são: Rio Grande do Sul, Ceará, São Paulo e Paraíba. O Rio Grande do Sul se destacou exportando US$ 448,35 milhões em valor FOB.

História da indústria de Calçados Brasileira

A indústria calçadista brasileira iniciou suas atividades nas últimas décadas do século XIX, especialmente após a Guerra do Paraguai. Em sua formação foi decisiva a contribuição dos imigrantes alemães e italianos estabelecidos no sul e no sudeste do país.

A chegada dos imigrantes alemães, instalados no Vale do Rio dos Sinos, em 1824, é considerada o capítulo inicial da história. Hábeis no artesanato de couro, os imigrantes começaram então a produzir em escala industrial seus calçados em meio a outros produtos, em especial arreios de montaria para o exército.

Outro capítulo importante se desdobra em São Paulo, por volta de 1850, com a chegada de imigrantes italianos ao oeste paulista, que aproveitaram a expansão do café e fixam moradia em Franca, logo desenvolvendo sua habilidade na produção calçadista.

A maior concentração de curtumes ocorreu entretanto na região do Vale dos Sinos (RS). Outra região de destaque da indústria foi a da cidade de Franca (SP). Em ambos os locais, muitos curtumes aproveitavam a grande oferta de matéria-prima, o couro cru.

Os avanços tecnológicos importados da Europa no final do século XIX, transformaram a produção de calçados, que sofreria contudo uma transição, passando de um empreendimento basicamente artesanal para uma atividade fabril.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro das novidades do comércio exterior.  ?

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.