Exportação de Arroz

O arroz é uma planta da família das gramíneas que alimenta mais da metade da população humana do mundo. É a terceira maior cultura cerealífera do mundo, apenas ultrapassada pelas de milho e trigo. É rico em hidratos de carbono.

Para poder ser cultivado com sucesso, o arroz necessita de água em abundância. Para manter a temperatura ambiente dentro de intervalos adequados, e, nos sistemas tradicionais, de mão-de-obra intensiva.

Agora, iremos ver como foram as exportações de arroz no ano de 2019.

Exportação de arroz

A exportação brasileira de arroz em 2019, alcançou 269 mil toneladas, representando queda de cerca de 62% em comparação com o ano anterior (716 mil toneladas). Os dados são do Ministério da Economia, compilados pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz).

A queda em valores de um ano para o outro também é bastante visível, em 2019, foi gerada uma receita de US$ 74,2 milhões, enquanto em 2018, foram gerados US$ 192 milhões.

Já o ano de 2020, houve uma alta de 163,7% nas exportações de arroz, um total de US$ FOB 130,33 milhões em receita. Ao todo, foram exportadas 487.428,8 toneladas, uma crescente de 169,5% a mais em comparação ao mesmo período de 2019.

Conheça também os dados das nossas Importações de Arroz.

Principais Destinos do Arroz brasileiro

Veja agora quais foram os principais destinos de exportação do arroz brasileiro no ano de 2019. Ou seja, estes são os países que compram arroz do Brasil:

País de Destino Valor FOB
Venezuela 68,1 milhões
Costa Rica 4,15 milhões
Nicarágua 1,27 milhões

A Venezuela foi o país que mais importou arroz do Brasil em 2019, as exportações para lá haviam dado uma parada nos anos anteriores, por conta da crise sofrida pelo país, mas retomaram em 2019. Em 2018, eram os principais clientes dos brasileiros, mas enfrentaram grandes problemas de crédito e atrasos de pagamentos, o país chegou a uma inflação de quase 1 milhão por cento. Isso ocorreu por quase 6 meses, porém, em abril do ano de 2019, o Brasil, por meio de decisão tomada, decidiu a volta da exportação ao país. Desde então, Venezuela voltou a ser o principal destino de Arroz. Nesta tabela aparecem também, Costa Rica e Nicarágua. Claro que outros países também foram importadores do Arroz, porém em números muito baixos.

O maior produtor do produto é o Rio Grande do Sul, Paraná também aparece como produtor, porém em número bastante baixo.

História e Origem do Arroz

Alguns autores apontam o Brasil como o primeiro país a cultivar esse cereal no continente americano. Consta que integrantes da expedição de Pedro Álvares Cabral, após uma peregrinação por cerca de 5 km em solo brasileiro, traziam consigo amostras de arroz, confirmando registros de Américo Vespúcio que trazem referência a esse cereal em grandes áreas alagadas do Amazonas. Em 1587, lavouras arrozeiras já ocupavam terras na Bahia e, por volta de 1745, no Maranhão. A prática da orizicultura no Brasil, de forma organizada e racional, aconteceu em meados do século XVIII e daquela época até a metade do século XIX, o país foi um grande exportador de arroz.

Quanto ao Rio Grande do Sul, atual estado maior produtor de arroz, Auguste de Saint Hilaire, em sua viagem ao Estado, realizada nos anos de 1820/21, já fala da ocorrência de lavouras desse cereal. Outros autores citam os colonos alemães de Santa Cruz do Sul e Taquara como os introdutores da cultura no Estado, sempre em pequenas lavouras, em estilo colonial.

Mas é, em 1904, no município de Pelotas, que surge a primeira lavoura empresarial, já então irrigada. Depois, a cultura chegou a Cachoeira do Sul e, a partir de 1912. Teve um grande impulso, graças aos locomóveis fabricados pela empresa Mernak. Os locomóveis acionavam bombas de irrigação, o que facilitava a inundação das lavouras de arroz.

Em 1940, com 90% da população vivendo na zona Rural, o processo de beneficiamento era obtido através da pilagem. Era preciso muito esforço para pouco rendimento, com baixos resultados.

2021: Exportações e Importações Brasileiras 

No ano de 2021, até o mês de Novembro, o Brasil totalizou um valor corrente de negociações no comércio exterior de US$ Milhões 454.996,8. 

Sendo US$ Milhões 256.028,3 de exportações, e US$ Milhões 198.968,5. Gerando um superávit de US$ Milhões 57.059,8.

O produto mais importado no ano de 2021 foi o “Adubos ou Fertilizantes Químicos”.

Quanto ao produto mais exportado no ano foi  “Minério de Ferro e seus concentrados” conforme dados do ComexStat.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3 / 5. Número de votos: 4

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

Tenha o roteiro de elaboração da DU-E em mãos!

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.