Exportações de Pneus: Saiba mais sobre

No artigo de hoje falaremos de mais um produto bastante exportado pelo Brasil para outros países que são os pneus. 2019 marcou as exportações de Pneus gerando uma receita de US$ 1,24 bilhão aumento de 2,4% em comparação ao ano de 2018 quando o valor foi de US$ 1,21 bilhões.

Exportações de Pneus

As exportações de Pneus foram consideráveis em 2019 e foram vendidas cerca de 302 mil toneladas do produto, o quilo foi vendido por US$ 4,097. Os negócios nas montadoras tiveram portanto um crescimento de 6%, apesar disso houve uma queda de 1,9% no segmento de reposição o que acaba por impedir o avanço do setor. Esses números foram divulgados pela associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip). Vale ressaltar aqui que a queda nas exportações de automóveis acabou prejudicando o fornecimento de pneus.

A Balança Comercial de pneus é favorável, com saldo de US$127,5 milhões. Em quantidade, porém, o Brasil importou mais do que vendeu para o exterior. Isso só acontece por que o país envia produtos com maior valor agregado ao exterior.

Para onde exportamos Pneus do Brasil

A seguir confira quais foram  os 10 principais destinos de exportação de Pneus em 2019:

País de destino Valor FOB US$
Estados Unidos 409 milhões
Argentina 255 milhões
México 109 milhões
Colômbia 72,8 milhões
Chile 36,6 milhões
Paraguai 31,9 milhões
Peru 22,7 milhões
Austrália 21 milhões
Alemanha 18,1 milhões
10º Uruguai 17,7 milhões

Fonte: ComexStat – janeiro a dezembro de 2019

O principal destino como podemos ver foi os Estados Unidos para onde cerca de 33% dos pneus foram, gerando uma receita de US$ 409 milhões. Em seguida aparece a Argentina correspondendo a 21% das exportações de pneus, alguns outros países da nossa lista que aparecem são países da América Latina, como México, Colômbia, Chile, entre outros.

Os principais estados produtores de pneus do Brasil em 2019 foram: São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.

História do Pneu

O pneu é um componente imprescindível ao funcionamento dos veículos por ser o ponto de contato com o solo. Desde que foi criado, no século XIX, passou por muitas mudanças até atingir a tecnologia atual.

No princípio, a borracha não passava de uma goma “grudenta” utilizada sobretudo para impermeabilizar tecidos e, quando era exposta a temperaturas elevadas, apresentava sério risco de se dissolver. Sobretudo depois de muitos experimentos iniciados pelo americano Charles Goodyear, por volta de 1830, foi confirmado acidentalmente que a borracha cozida a altas temperaturas com enxofre mantinha suas condições de elasticidade no frio ou no calor. Estava descoberto então o processo de vulcanização da borracha, anunciado somente em 1843, que possibilitou dar forma ao pneu, aumentar a segurança nas freadas e diminuir as trepidações nos carros.

Alguns anos mais tarde, em 1845, os irmãos Michelin foram os primeiros a patentear o pneu para automóvel. Em 1847 o inglês Robert Thompson colocou uma câmara cheia de ar dentro dos pneus de borracha maciça e patenteou, assim, o pneu pneumático. Em 1888 foi fabricado então o primeiro pneu para bicicletas, produzido pela Dunlop e, neste mesmo ano, o pneu começou a ser utilizado em larga escala.

Dados Estatísticos de 2021: Exportação e Importação

Em  2021 (até o mês de Novembro), o Brasil totalizou um valor corrente de negociações no comércio exterior de US$ Milhões 454.996,8. 

Sendo US$ Milhões 256.028,3 de exportações, e US$ Milhões 198.968,5. Gerando um superávit de US$ Milhões 57.059,8.

O produto mais importado no ano de 2021 foi o “Adubos ou Fertilizantes Químicos”.

Quanto ao produto mais exportado no ano foi “Minério de Ferro e seus concentrados” conforme dados do ComexStat.

E ai, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.