Importação de Energia Elétrica

Você sabia que o Brasil importa Energia Elétrica? Pois é, o baixo nível de reservatórios de hidrelétricas está entre fatores que explicam a importação. A energia elétrica é uma das formas de energia mais utilizadas no mundo. Ela é gerada, principalmente, nas usinas hidrelétricas, usando o potencial energético da água. Porém, ela pode ser produzida também em usinas eólicas, termoelétricas, solares, nucleares entre outras.

Vamos agora ver como foram as importações de Energia Elétrica no ano de 2019.

Importações de Energia Elétrica

O Brasil possui interligação elétrica com Argentina, Uruguai e Paraguai e pode tanto importar, quanto exportar energia. O ano de 2019 não foi muito bom para as importações de Energia Elétrica, e por sinal foi o ano com menor valor gerado em receita nos últimos 5 anos. O valor FOB gerado no ano foi de US$ 33,4 milhões, uma queda de mais de 74% se comparado ao ano de 2018, o qual foi um dos recordes dos últimos 10 anos gerando uma receita de US$ 142 milhões.

O ano de 2020, já aparece com uma queda bastante considerável de mais ou menos 50%, o que significa que a tendência é de que este ano seja ainda pior que o ano passado quando falamos de importação de Energia.

De onde o Brasil importa Energia Elétrica

A seguir, confira quais principais origens da Energia Elétrica.

País de Origem Valor FOB
Uruguai 17,8 milhões
Venezuela 12,9 milhões
Argentina 2,70 milhões

Fonte: ComexStat

Em 2016, entrou em operação uma nova estrutura que elevou a capacidade de trocas de energia entre Brasil e Uruguai, o que facilita ainda mais na hora de importar. Isso fez com que o Uruguai se destacasse no ano de 2019. Em seguida, aparece a Venezuela, que o principal estado que utiliza a energia do país é Roraima. Aparece na tabela, também, a Argentina.

Importância da Energia Elétrica

A energia elétrica tornou-se a principal fonte de luz, calor e força utilizada no mundo moderno, sendo um insumo fundamental utilizado por 79% das empresas, podendo representar 40% dos seus custos de produção. Entretanto, nos últimos três anos, a política do governo trouxe um impacto no custo médio para a indústria de 59,3%. Em julho de 2016, o valor atingiu 535,28 R$/MWh2, o que afetou os custos de produção nas empresas.

Com a energia elétrica obtemos a luz, a manutenção dos alimentos em geladeiras e freezeres, ar condicionado, banho quente e o uso cada vez maior de aparelhos eletrodomésticos e eletrônicos. Com o GLP ou à lenha cozinhamos nossos alimentos, utilizando-os ainda para aquecimento da água do banho ou outras finalidades. Ah, não podemos esquecer do carvão vegetal para o churrasco.

Para nos locomovermos, seja a trabalho, a lazer ou outra finalidade, por transporte coletivo (ônibus, trem) ou individual (carros), usaremos fundamentalmente combustíveis de derivados de petróleo (óleo diesel, gasolina), biocombustíveis (álcool, biodiesel) ou gás natural.

O mundo do trabalho-agricultura, indústria, serviços, comércio, lazer – é igualmente dependente da eletricidade, dos derivados de petróleo, gás natural, biocombustíveis, lenha e outros.

2021: Exportações e Importações Brasileiras 

No ano de 2021, até o mês de Novembro, o Brasil totalizou um valor corrente de negociações no comércio exterior de US$ Milhões 454.996,8. 

Sendo US$ Milhões 256.028,3 de exportações, e US$ Milhões 198.968,5. Gerando um superávit de US$ Milhões 57.059,8.

O produto mais importado no ano de 2021 foi o “Adubos ou Fertilizantes Químicos”.

Quanto ao produto mais exportado no ano foi  “Minério de Ferro e seus concentrados” conforme dados do ComexStat.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 6

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.