Importação da China

Nós já vimos quais são os principais produtos importados pelo Brasil no geral, mas você sabe quais são os produtos mais importados da China para o Brasil? A China é o principal parceiro comercial do Brasil e aumentou sua participação em 2020. No último ano da segunda década do século XXI, 21,4% das importações brasileiras vieram da China. 

Dada a importância desse país no comércio exterior brasileiro, vamos conhecer mais sobre as importações da China.

São tópicos desse artigo:

  • Principais produtos importados da China para o Brasil em 2020;
  • Balança Comercial Brasil-China;
  • Importação de Máscaras da China;
  • Investigações de dumping nas exportações chinesas.

Vamos lá! 😉

Principais Produtos Importados da China pelo Brasil em 2020

Confira a lista dos principais produtos que o Brasil importou da China em 2020 (em valores FOB).

  1. Equipamentos de telecomunicações, incluindo peças e acessórios
  2. Válvulas e tubos termiônicas, de cátodo frio ou foto-cátodo, diodos, transistores
  3. Plataformas, embarcações e outras estruturas flutuantes
  4. Compostos organo-inorgânicos, compostos heterocíclicos, ácidos nucléicos e seus sais, e sulfonamida
  5. Demais produtos – Indústria de Transformação
  6. Máquinas e aparelhos elétricos
  7. Aparelhos elétricos para ligação, proteção ou conexão de circuitos
  8. Peças e acessórios (exceto estojos, capas e semelhantes) para a máquinas de processamento de dados ou máquinas de escritórios
  9. Medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários
  10. Máquinas de energia elétrica (exceto planta elétrica rotativa do grupo 716) e suas partes
  11. Inseticidas, rodenticidas, fungicidas, herbicidas, reguladores de crescimento para plantas, desinfetantes e semelhantes
  12. Adubos ou fertilizantes químicos (exceto fertilizantes brutos)
  13. Compostos de função nitrogênio
  14. Equipamentos elétricos e não elétricos de uso doméstico
  15. Aquecimento e resfriamento de equipamentos e suas partes

É claro que o Brasil importa muitos outros produtos vindos da China, alguns mais conhecidos como roupas e eletrônicos, mas conforme dados da ComexVis, os produtos listados acima foram os mais importados segundo dados de janeiro a dezembro de 2020. 

A seguir vamos entender cada um deles um pouco melhor.

1) Equipamentos de telecomunicações, incluindo peças e acessórios

Nossos inseparáveis aparelhos celulares e suas partes estão contidos nessa primeira colocação, que em 2020 totalizou US$ 4,3 bilhões de importações, apresentando uma variação positiva de 5% em relação ao ano anterior e atingindo 13% do total das importações.

2) Válvulas e tubos termiônicas, de cátodo frio ou foto-cátodo, diodos, transistores

São materiais da indústria eletrônica de utilização diversa. Em 2020 foram importados US$ 2,2 bilhões desses materiais, chegando a 6,3% do total das importações.

3) Plataformas, embarcações e outras estruturas flutuantes

Aqui estão as tão importantes plataformas normalmente utilizadas na exploração e produção de petróleo e gás natural, como já vimos no texto Principais Produtos Importados pelo Brasil. As importações de estruturas flutuantes alcançaram US$ 1,89 bilhão em 2020.

4) Compostos organo-inorgânicos, compostos heterocíclicos, ácidos nucléicos e seus sais, e sulfonamida

Compostos inorgânicos são substâncias formadas por átomos ou moléculas de pelo menos dois elementos diferentes, e que não contenha em sua estrutura átomos de carbono formando cadeias e ligados ao hidrogênio.

Compostos orgânicos são moléculas formadas por átomos de carbono ligados por meio de ligações covalentes entre si e com outros elementos, como hidrogênio, oxigênio, nitrogênio, fósforo e halogênios.

Compostos heterocíclicos e seus sais e sulfonamidas são composições químicas usadas normalmente no desenvolvimento de medicamentos. É composto por um anel do qual fazem parte pelo menos dois tipos de átomos, pelo menos um destes átomos é envolvido por carbono. 

Dos compostos apresentados acima foi importado US$ 1,74 bilhão em 2020 (5,1% do total).

5) Demais produtos – Indústria de Transformação

Indústria de transformação é o termo utilizado para classificar os sistemas de produção que transformam um elemento em outro, uma matéria-prima em um bem, diferenciando-se do setor de produção agrícola e indústria extrativa de vegetal ou mineral. Inclui todos os momentos da produção industrial. Abrange por exemplo as indústrias que transformam aço em máquinas e ferramentas, a produção agroindustrial que transforma cana em açúcar, a fabricação de bens de consumo como automóveis e roupas. Essas importações da China atingiram US$ 1,65 bilhão em 2020.

6) Máquinas e aparelhos elétricos

Em 2020 o Brasil importou da China US$ 1,14 bilhão em máquinas e aparelhos elétricos. Esse valor representou uma participação de 3,4% do total, apesar da queda em relação ao ano anterior (-4,82%).

7) Aparelhos elétricos para ligação, proteção ou conexão de circuitos

Assim como praticamente todas as outras posições, também importamos menos aparelhos elétricos para ligação, proteção ou conexão de circuitos da China em 2020: US$ 817 milhões, 2,4% menos que em 2019.

8) Peças e acessórios (exceto estojos, capas e semelhantes) para a máquinas de processamento de dados ou máquinas de escritórios

Esses itens, geralmente de baixo valor, representaram 2,3% do total das importações brasileiras da China, com um total de US$ 797 milhões.

9) Medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários

Chegamos à nona posição e verificamos um expressivo aumento nas importações de medicamentos da China em 2020 em relação a 2019: 86,7%. Esse significativo aumento traduziu-se num valor total de US$ 736 milhões em importações de remédios da China.

10) Máquinas de energia elétrica (exceto planta elétrica rotativa do grupo 716) e suas partes

US$ 654 milhões de importação da China desse tipo de máquina de energia elétrica e suas partes em 2020, um aumento de 5,32% em relação ao ano anterior.

11) Inseticidas, rodenticidas, fungicidas, herbicidas, reguladores de crescimento para plantas, desinfetantes e semelhantes

As importações desse tipo de produto da China vêm crescendo nos últimos anos e em 2020 não foi diferente: foram importados US$ 607 milhões pelo Brasil para utilização na área agrícola.

12) Adubos ou fertilizantes químicos (exceto fertilizantes brutos)

As importações de adubos e fertilizantes químicos da China chegaram a US$ 593 milhões em 2020, apesar da queda de 16% quando comparado a 2019.

13) Compostos de função nitrogênio

Os compostos nitrogenados possuem diversas aplicações na indústria química. Em 2020, as importações brasileiras desses compostos da China atingiram US$ 567 milhões, perfazendo um aumento de 22,5% em relação ao ano anterior.

14) Equipamentos elétricos e não elétricos de uso doméstico

Mais uma linha de produtos manufaturados que compramos dos chineses, os equipamentos domésticos tiveram uma participação de 1,7% no total das importações da China em 2020.

15) Aquecimento e resfriamento de equipamentos e suas partes

As importações brasileiras desse tipo de material da China atingiram US$ 560 milhões em 2020, representando 1,6% do total.

A Balança Comercial Brasil-China

A China é o nosso principal parceiro comercial há anos e em 2020 não foi diferente, inclusive com o crescimento dessa participação. Em 2020 a China foi o país de onde mais importamos mercadoria. E também, o país para onde mais exportamos nossos produtos.

Note, na imagem acima, que a China ficou em 1º lugar no Ranking das Exportações Brasileiras, ou seja, a China é o principal destino das nossas exportações. Além disso, a China ocupou também a 1ª colocação no Ranking das Importações Brasileiras. As exportações superaram as importações, portanto tivemos um superávit na Balança Comercial Brasil-China no valor de US$ 33,7 bilhões. Esse valor representa ⅔ do superávit total da Balança Comercial de 2020.

👉🏼 Veja aqui os Principais Produtos Exportados para China.

Importação de Máscaras da China

No ano da pandemia do Coronavírus, foi necessária a importação de milhões de máscaras para uso dos profissionais de saúde. Contudo, alguns fabricantes chineses não produziram máscaras em uma qualidade satisfatória, como abordamos no artigo Importação de Máscaras da China.

Investigações de dumping nas exportações chinesas

Com certa frequência, o Brasil abre processos para investigar a prática de dumping (ação ou expediente de pôr à venda produtos a um preço inferior ao do mercado, especialmente no mercado internacional, para se desfazer de excedentes ou para derrotar a concorrência, por exemplo). Escrevemos sobre um desses processos nesse artigo: Brasil investiga China por dumping nas exportações.

Caso o processo de investigação de dumping conclua que houve dolo a indústria nacional, é aplicado um direito antidumping visando neutralizar o efeito do dano. Contudo, quando há interesse nacional, o Brasil pode suspender o direito antidumping. Recentemente, isso foi feito para que o país pudesse importar seringas da China a um custo menor. O ato normativo foi a Resolução Gecex nº 145/2021, conforme seu artigo primeiro, abaixo reproduzido.

Art. 1º Suspender a aplicação, por razões de interesse público, até 30 de junho de 2021, do direito antidumping às importações brasileiras de seringas descartáveis de uso geral, de plástico, com capacidade de 1ml, 3ml, 5 ml, 10 ml ou 20 ml, com ou sem agulhas, comumente classificadas nos itens 9018.31.11 e 9018.31.19 da Nomenclatura Comum do MERCOSUL – NCM, originárias da China.

A Resolução Gecex nº 147/2021 também suspendeu o direito antidumping de tubos de plástico para coleta de sangue a vácuo, comumente classificadas nos itens 3822.00.90, 3926.90.40 e 9018.39.99 da NCM, originárias da Alemanha, China, Estados Unidos e Reino Unido.

E ai, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

E-book Grátis: 7 Novidades sobre a DUIMP E o Novo Processo de Importação