Importações do Peru

Hoje, mais um dos importantes parceiros comerciais do Brasil será explorado. Neste texto, abordaremos as importações do Peru, nosso vizinho de continente e amigo de negócios. Embora no ano atual (2020) a posição tenha caído, o país latino-americano, em 2019, ficou em 24º lugar no ranking de países importadores para o Brasil, com 0,9% de participação nas importações.

Agora, chegou o momento de pegar uma xícara de café e ir aos fatos e dados do dia. Vamos nessa?! ☕

Além das importações, você também pode conferir a matéria sobre as principais exportações brasileiras para o Peru em nosso blog.

Importações do Peru: Dados

Em 2019, a receita de importações foi de US$ 1.536,4 milhões, uma queda de 15,2% com relação ao ano anterior, porém, continuou com superávit, totalizando US$ 679,6 milhões. Já no primeiro semestre de 2020, houve uma queda mais do que considerável. Enquanto no ano antecessor a posição no ranking era 24ª, atualmente o Peru está em 35º lugar no ranking de países importadores, arrecadando US$ 374,1 milhões, com baque de -43,1%, em comparação ao mesmo período de 2019. A participação do país latino-americano nas importações para o Brasil, obviamente, caiu, ficando com 0,5%.

Principais produtos importados do Peru para o Brasil

A indústria da transformação, indústria extrativa e agropecuária, respectivamente, tomaram conta do quadro de produtos importados em 2019. Abaixo, podemos ilustrar melhor quais foram os principais produtos importados do Peru para o Brasil.

Produtos %

US$ FOB

Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) 23% 354 milhões
Minérios de cobre e seus concentrados 19% 286 milhões
Outros minérios e concentrados dos metais de base 16% 252 milhões
Cobre 12% 181 milhões
Fertilizantes brutos (exceto adubos) 5,4% 83,6 milhões
Demais produtos – Indústria de Transformação 2,7% 41,5 milhões
Legumes, raízes e tubérculos, preparados ou conservados 2,1% 32,2 milhões
Elementos químicos inorgânicos, óxidos e sais de halogêneos 2,1% 32,1 milhões

Fonte: ComexStat – Dados coletados entre janeiro e dezembro de 2019.

No atual período, primeiros seis meses de 2020, os produtos importados sofreram algumas alterações nas estatísticas. É possível perceber que, embora as categorias continuem estabilizadas como no ano anterior, os produtos em si tiveram oscilações nas posições e participações. Enquanto os oito primeiros eram os citados acima, atualmente o quadro está, respectivamente, assim: cobre (26%), outros minérios e concentrados dos metais de base (16%), Minérios de cobre e seus concentrados (7,4%), Fertilizantes brutos (exceto adubos) (7,4%), óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) (5,6%), carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (4,4%), chapas, folhas, películas, tiras e lâminas, de plásticos (3,7%) e elementos químicos inorgânicos, óxidos e sais de halogêneos (3,3%).

Para ilustrar a variação:

Conheça também os principais produtos importados pelo Brasil.

Importações do Peru: fatos

Em 2018, o Peru ficou em 49º lugar no ranking de economias do mundo (em termos de PIB); em exportações, 53º lugar; importações, 57º lugar; em economia mais complexa no Índice de Complexidade Econômico (ECI), 94ª posição. Dentre as importações gerais do Peru, encontram-se os produtos: petróleo refinado, petróleo bruto, carros, equipamentos de transmissão e caminhões de entrega. Dentre os principais destinos, estão, em ordem: China, Estados Unidos, Brasil, México e Chile.

O país localizado na América do Sul, faz fronteira com alguns países que já foram pautas aqui em nosso blog, como: Bolívia, Brasil, Chile, e Colômbia.

Os dados de 2021 no Comércio Exterior

No ano de 2021, até o mês de Novembro, o Brasil totalizou um valor corrente de negociações no comércio exterior de US$ Milhões 454.996,8. 

Sendo US$ Milhões 256.028,3 de exportações, e US$ Milhões 198.968,5. Gerando um superávit de US$ Milhões 57.059,8.

O produto mais importado no ano de 2021 foi o “Adubos ou Fertilizantes Químicos”.

Quanto ao produto mais exportado no ano foi  “Minério de Ferro e seus concentrados” conforme dados do ComexStat.

E aí, gostou deste artigo? Então, inscreva-se no nosso blog e fique por dentro das novidades de Exportação, Importação e Drawback.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.9 / 5. Número de votos: 10

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

Conheça as 7 novidades do Novo Processo de Importação

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.