Principais Produtos Importados por Pernambuco

Pernambuco está na lista dos 10 estados que mais importam no Brasil e tem uma pauta de importação bastante variada. Neste artigo você conhecerá os Principais Produtos Importados por Pernambuco.

O Estado é localizado na porção centro-leste da Região Nordeste, sendo que possui extensão territorial de 98.146,315 quilômetros quadrados e, conforme contagem populacional realizada em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), totaliza 8.796.448 habitantes.

O que você vai ver hoje:

  • Lista dos Principais Produtos Importados por Pernambuco;
  • Economia pernambucana;
  • Balança Comercial do Estado de Pernambuco.

Vamos lá! 😉

Para ilustrar:

Fonte: ComexVis – Dados de Janeiro a Outubro -2019

 

Lista dos Principais Produtos Importados por Pernambuco

  1. Óleos combustíveis;
  2. Gás propano liquefeito;
  3. Querosene de aviação;
  4. Gasolina;
  5. Hidrocarbonetos e seus derivados halogenados, etc;
  6. Óleos brutos de petróleo;
  7. Veículos de carga;
  8. Medicamentos para medicina humana e veterinária;
  9. Demais produtos manufaturados; e 
  10. Trigo em grãos.

 

Confira detalhes de cada um destes produtos:

1) Óleos combustíveis

É um derivado do petróleo, é também tratado como óleo combustível pesado ou ainda como óleo combustível residual. Os óleos combustíveis podem ser classificados sobretudo com relação a sua viscosidade. Representa aproximadamente 14% do total de importações pernambucanas nos período de janeiro a outubro de 2019.

2) Gás propano liquefeito

É uma mistura de gases de hidrocarbonetos utilizado como combustível em aplicações de aquecimento (como em fogões) e veículos. O gás propano, quimicamente, é uma mistura de gases condensáveis (podem passar ao estado líquido) que estão presentes no gás natural ou dissolvidos no petróleo, a sua principal fonte de obtenção. Corresponde até então a 10% das importações do estado de Pernambuco.

3) Querosene de aviação

O querosene de aviação, também conhecido pela sigla QAV-1, é o combustível utilizado em aviões e helicópteros dotados de motores à turbina, como jato-puro, turboélices ou turbo-fans. Representa portanto 9,7% das importações pernambucanas.

4) Gasolina

gasolina é um combustível constituído basicamente por hidrocarbonetos (compostos químicos constituídos apenas por átomos de carbono e hidrogênio) e, em menor quantidade, por produtos oxigenados. Esses hidrocarbonetos são, em geral, mais “leves” do que aqueles que compõem o óleo diesel, pois são formados por moléculas de menor cadeia carbônica (normalmente de 5 a 10 átomos de carbono). Além dos hidrocarbonetos e dos oxigenados, a gasolina também pode conter compostos de enxofre e compostos contendo nitrogênio. A faixa de destilação da gasolina automotiva varia sobretudo de 40 a 175 °C.

5) Hidrocarbonetos e seus derivados halogenados

são compostos orgânicos obtidos pela substituição de pelo menos um átomo de hidrogênio de um hidrocarboneto por átomo de halogênio (por isso, compostos derivados), reação essa, denominada halogenação.

Representa 4,6% do total de importações de pernambuco.

6) Óleos brutos de petróleo

O petróleo bruto é então, uma mistura complexa de hidrocarbonetos, que precisam ser separados por diversos processos para formar os derivados utilizados pelos consumidores e pela indústria em geral. Representa basicamente 3,9% das importações do estado aparecendo assim na nossa sexta colocação.

7) Veículos de carga

Na sétima colocação vem então veículos de carga que representam 3,0% das importações de PE. São aqueles veículos usados principalmente para carregar determinadas cargas, existem várias modalidades de veículos de carga, desde utilitários a bitrem 7 eixos.

8) Medicamentos para medicina humana e veterinária

A importação de medicamentos na forma de matéria-prima, produto semi-elaborado, produto a granel ou produto acabado – com exceção dos medicamentos sujeitos à controle especial –, estará sujeita ao Registro de Licenciamento de Importação no Siscomex, submetendo-se à fiscalização pela autoridade sanitária antes de seu desembaraço aduaneiro. Corresponde então a basicamente 2,8% das importações PE.

9) Demais produtos manufaturados

São contudo aqueles produtos feitos em grande quantidade e de forma bastante padronizada utilizando uma mão de obra qualificada para isso. Tem uma participação de 2,5% nas importações de Pernambuco.

10) Trigo em grãos

O grão de trigo é um alimento básico usado para fazer farinha e, com esta, o pão, na alimentação dos animais domésticos e como ingrediente na fabricação de cerveja. O trigo é também plantado estritamente então como forragem para animais domésticos, como a palha. Participa com 2,5% das importações do estado de Pernambuco.

Economia Pernambucana

Essa unidade federativa tem apresentado elevado desenvolvimento econômico, fato constatado no aumento anual do Produto Interno Bruto (PIB) estadual. Em 2008, o PIB pernambucano atingiu a marca de R$ 62,2 bilhões, correspondendo a 2,3% do PIB brasileiro; no âmbito regional essa participação foi de 17,9%, sendo a segunda maior, inferior apenas à Bahia (31,5%).

Historicamente, Pernambuco tinha principalmente na agricultura sua principal atividade econômica, sendo a cana-de-açúcar o produto de maior destaque. No entanto, nas últimas três décadas esse cenário mudou totalmente, o setor de serviços passou a ser o elemento fundamental para a geração de receitas. A atual composição do PIB estadual é a seguinte:

  • Agropecuária: 4,8%.
  • Indústria: 21,9%.
  • Serviços: 73,3%.

A agricultura estadual baseia-se no cultivo de cana-de-açúcar, porém está sendo substituída pelas plantações de rosas, gladíolo e crisântemo, na Zona da Mata; e pela fruticultura irrigada, especialmente na região de Petrolina, onde se produz uva, manga, melancia e banana. O estado também produz feijão, mandioca, cebola, milho e algodão.

A pecuária, por sua vez, é composta por rebanhos bovinos (2.122.191 de cabeças) e caprinos (1.685.845).

A indústria tem apresentado desenvolvimento em razão dos constantes investimentos nos segmentos de transformação de minerais, confecções, químico, petroquímico, farmacêutico, mobiliário, transporte e de energia. Recife, capital pernambucana, possui um moderno pólo de informática, que concentra mais de 200 empresas e realiza negócios comerciais que atingem mais de 100 milhões de reais por ano.

Balança Comercial de Pernambuco

 

A Balança Comercial de Pernambuco está deficitária no período de apuração deste artigo, ou seja de janeiro até outubro de 2019.

Note que o estado ocupa a 16ª colocação no Ranking do Estados que mais exportam no Brasil.

Para ilustrar:

 

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro das novidades do comércio exterior.  😉

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex.

E-book Grátis: 7 Novidades do Novo Processo de Importação