Estreito de Gibraltar: O que é

Hoje vamos falar da pequena faixa de mar que separa a Europa da África: o Estreito de Gibraltar. Vamos conhecer mais desse importante local? 😉 

O que é o Estreito de Gibraltar?

O Estreito de Gibraltar é um canal marítimo que separa dois continentes: África e Europa. Está localizado entre o sul da Espanha, no território britânico de Gibraltar e o norte de Marrocos, em Ceuta. Ele une o Mar Mediterrâneo (leste) ao Oceano Atlântico (oeste) e possui aproximadamente 15 quilômetros de distância e cerca de 300 a 1.000 metros de profundidade. 

O Estreito de Gibraltar é resultado da separação das placas tectônicas: Euroasiática e a Africana e foi durante séculos rota de passagem para navios mercantes que realizavam transações comerciais entre a Europa e o Oriente Médio. Atualmente, estima-se que perto de 90 mil embarcações cruzem essa passagem anualmente e que, em média, passe pelo local uma embarcação a cada seis minutos.

Esse território pertence à Grã-Bretanha, e sua propriedade foi definida em 1704, por meio do Tratado de Utrecht, como forma de compensação pela guerra entre ingleses e espanhóis.

Para ilustrar:

A origem do Estreito de Gibraltar

O Estreito de Gibraltar, o portão entre as civilizações Mediterrâneas antigas e o oceano desconhecido, sempre atraiu o interesse humano. Conta a lenda que esse estreito foi formado por Hércules que abriu a terra para poder entrar no Mediterrâneo. Segundo esse mito, as águas do Atlântico fluíram para o Mediterrâneo com tal força que os navegadores eram impedidos de entrar no oceano aberto. O interessante é que essa lenda tem base na realidade: o fluxo de superfície atual é, predominantemente, do Atlântico para o Mediterrâneo.

A lenda de Hércules coloca uma questão intrigante: para onde vai essa água que flui para dentro do Mediterrâneo? Ainda que uma parte considerável seja evaporada no interior do Mediterrâneo, essa perda é muito menor do que o volume que flui para dentro desse oceano. Assim mesmo, considerando-se também que um considerável volume dessa água seja perdida por evaporação dentro do Mediterrâneo, essa perda é insuficiente para compensar o volume que entra. Ocorre que a evaporação causa um aumento de salinidade dentro do Mediterrâneo e um consequente aumento de densidade da água. Essa água mais pesada afunda e retorna para o Atlântico pelo fundo, abaixo do fluxo que entra pela superfície, e, eventualmente, espalha-se por todo o Atlântico Norte.

O Estreito de Gibraltar e as rotas de navegação

O Estreito de Gibraltar é um gargalo natural na junção das rotas marítimas do Mediterrâneo, do Atlântico Norte e da África Ocidental. O crescimento do comércio Europa / Ásia levou ao uso crescente do estreito para transbordo. A maior parte deste transbordo assume a forma de uma competição dupla entre o centro estabelecido de Algeciras (no lado espanhol do estreito) e o novo centro de Tanger Med (no lado marroquino). Quando foi inaugurado no final dos anos 2000, o Tanger Med viu a realocação de algumas das atividades de transbordo que aconteciam em Algeciras, mas ambos os centros retomaram o seu crescimento posteriormente, uma tendência que parece estar se estabilizando. Ambos são polos de transbordo puro, uma vez que mais de 90% do seu volume diz respeito a cargas de transbordo de navio, as quais, portanto, não saem do porto. 

Valência também tem sido um centro de transbordo ativo, apesar de envolver um nível mais alto de desvio das principais rotas de navegação, uma vez que também fornece cargas para o interior. O porto de Sines, em Portugal, também disputa uma fatia do negócio de transbordo e recentemente ultrapassou Las Palmas, que era um polo de transbordo com foco no comércio da África Ocidental, uma função que foi suprida pela Tanger Med.

Confira também nosso artigo: Os maiores gargalos do transporte marítimo mundial

A importância do Estreito de Gibraltar

O Estreito de Gibraltar possui uma relevante importância econômica e geopolítica. Do ponto de vista econômico, assim como outros canais e passagens do mundo, como o Canal do  Panamá ou o Canal de Suez, ele permite a redução de tempo e despesas durante as travessias de navios-cargueiros com destino à Europa, América ou Ásia.

Do ponto de vista geopolítico, o estreito de Gibraltar representa uma rápida e curta comunicação entre a Europa e a África. Por essa razão, esse território é bastante vigiado por forças militares para garantir a segurança. Nos tempos mais antigos, apenas para o acesso havia um maior controle. Com o advento de instrumentos de guerra que possuem alcance maior, como os canhões marítimos, a defesa passou a ser uma demanda imprescindível para a região de Gibraltar.

Conheça também nosso texto sobre os Principais Portos Africanos.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.4 / 5. Número de votos: 11

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

🖥️ Webinário Gratuito: Como funciona o Catálogo de Produtos do Novo Processo de Importação?

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.