Exportações de Sergipe

As exportações de Sergipe não são muito altas em questão de valores e o estado é o 26º colocado quando falamos dos estados exportadores do Brasil, tendo participação de 0,02% nas mesmas.

O Sergipe é o menor estado brasileiro, o que faz com que as produções do país também sejam menores e assim tendo menos produtos para exportar para outros países. A seguir a gente vai ver melhor todos os dados de exportações do estado, quais seus principais produtos exportados e para onde costumam ir os produtos sergipanos.

Pega seu café e vem comigo. ☕

Exportações de Sergipe: Vamos entender melhor

As exportações de Sergipe para outros países costuma não ser muito alta, levando em consideração o tamanho do estado e a sua população. No ano de 2019 foram exportados em valores US$ 50,6 milhões, valor este que apresenta uma queda de 31,7% se for comparado ao ano anterior (2018), quando foram exportados US$ 74 milhões em produtos. Até maio de 2020 essa queda está ainda maior e gira em torno de 29% com uma receita de US$ 19,2 milhões, isso se for comparado ao mesmo período de 2019 quando em receita foram gerados US$ 27,2 milhões.

Principais produtos exportados por Sergipe

A seguir você confere na tabela quais foram os principais produtos sergipanos exportados:

Principais produtos exportados % Valor FOB US$
Sucos de frutas ou de vegetais 50 25,3 milhões
Calçados 15 7,38 milhões
Açúcar 11 5,72 milhões
Equipamentos elétricos e não elétricos de uso doméstico 6,6 3,35 milhões
Demais produtos – Indústria de Transformação 4,7 2,37 milhões
Outros produtos comestíveis e preparações 4,1 2,063 milhões
Óleos essenciais, matérias de perfume e sabor 4 2,045 milhões

Fonte: ComexStat

Exportações de Sucos de frutas 

Sergipe é conhecido pelas suas exportações de sucos de frutas que no ano de 2019 geraram uma receita de US$ 25,3 milhões e representaram 50% de todas as exportações do estado para outros países.

Aparecem na nossa tabela também produtos como calçados e açúcar, o estado possui um cultivo considerável de cana de açúcar deixando assim o açúcar como o 3º principal produto exportado pelo estado.

 

Os principais destinos de produtos do Sergipe são:

Balança comercial Sergipe

A balança comercial do estado sergipano mostra um déficit no ano de 2019 de basicamente US$ 691 milhões, ou seja, o estado importou mais produtos do que exportou.

Veja imagem ilustrando:

Economia sergipana

Sergipe é uma das nove unidades federativas que integram a Região Nordeste. Com extensão territorial de 21.918,354 quilômetros quadrados, o estado possui 2.068.017 habitantes, conforme dados divulgados, em 2010, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Durante séculos, a economia de Sergipe foi totalmente dependente do cultivo de cana-de-açúcar, no entanto, a partir da década de 1990, houve uma diversificação das atividades. Através de incentivos fiscais, do seu potencial energético, gerado pela usina de Xingó, e pela exploração de petróleo e gás natural, ocorreu um aumento considerável na produção industrial.

2021: Exportações e Importações Brasileiras 

No ano de 2021, até o mês de Novembro, o Brasil totalizou um valor corrente de negociações no comércio exterior de US$ Milhões 454.996,8. 

Sendo US$ Milhões 256.028,3 de exportações, e US$ Milhões 198.968,5. Gerando um superávit de US$ Milhões 57.059,8.

O produto mais importado no ano de 2021 foi o “Adubos ou Fertilizantes Químicos”.

Quanto ao produto mais exportado no ano foi  “Minério de Ferro e seus concentrados” conforme dados do ComexStat.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro das novidades do comércio exterior.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 4

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

Tenha o roteiro de elaboração da DU-E em mãos!

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.