Exportações do Acre

No artigo de hoje, falaremos sobre as Exportações do Acre e sua Balança Comercial. 

Infelizmente, o Acre ocupa a pior colocação no ranking de exportadores brasileiros. Sua participação nas exportações do país representam apenas 0,01%. 

De qualquer forma, vamos analisar quais são os principais produtos exportados pelo Acre. 

Vamos lá!

Exportações do Acre

As exportações pelo estado acriano não são as melhores, e no ano de 2019 foram de apenas US$ 32,9 milhões. Houve uma queda de mais de 17% se for comparado ao ano de 2018, quando o valor de exportações foi de US$ 39,8 milhões. O Acre tem um potencial muito grande quando falamos de pecuária e por este motivo, as negociações para exportar mais deste setor no ano de 2020 tem sido bastante faladas.

O ano de 2020 já iniciou de uma forma melhor que o ano de 2019 no mesmo período, e até o final de março o valor gerado foi de US$ 10,3 milhões. 

Mas você sabe o que o Acre costuma exportar? Vai ser isso que a gente vai ver agora:

Principais produtos exportados pelo Acre

Agora vamos ver quais foram os principais produtos exportados pelo Acre no ano de 2019.

Produto Exportado pelo Acre % Valor FOB US$
Madeira, parcialmente trabalhada e dormentes de madeira 31 10,1 milhões
Folheados, contra placados, aglomerados, e outras madeiras, trabalhados 13 4,32 milhões
Frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas 13 4,19 milhões
Outras carnes e miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas 12 4,04 milhões
Matérias brutas de animais 7,8 2,56 milhões
Demais produtos – Indústria de Transformação 4 1,33 milhões
Carne suína fresca, refrigerada ou congelada 3,6 1,19 milhões
Couro 3,3 1,08 milhões

Fonte: ComexStat

A madeira é o produto que o Acre mais exporta, isso se deve ao o estado ser predominado pela floresta Amazônica. Exportação de madeira cresce 21,5% em um ano no Acre. E só no ano de 2019 mais de 31% de todos os produtos exportados pelo estado foram de madeira, o que gerou mais de USS 10 milhões. Outros produtos provenientes da floresta também são bastante exportados e aqueles de origem animal também, como a Carne Suína que aparece na 7ª colocação na nossa tabela.

Os principais países para onde se destinam os produtos do Acre no ano de 2019 foram: Hong Kong (22%), Estados Unidos (16%), Bolívia (14%), Peru (14%) e Países baixos (6,6%).

Balança Comercial do Acre

No ano de 2019 o Acre ficou na 27ª colocação quando falamos de exportações e também nas importações, e gerou um superávit de US$ 30,9 milhões.

👉🏼 Confira também os principais produtos exportados pelo Brasil.

Curiosidades sobre o Acre

1. Até o início do século XX, o Acre pertencia à Bolívia, que disputava a posse da terra com o Peru. Em 1903, o Brasil pôs um fim na disputa: comprou a região por 2 milhões de libras esterlinas. No entanto, o estado só foi oficialmente declarado um estado brasileiro em 1962.

2. Rio Branco foi criada a partir do núcleo Empresa, que tornou-se vila e sede do Departamento do Alto Acre.

3. Em 1909, seu nome de Alto Acre foi trocado para Penápolis, homenagem ao presidente Afonso Pena, e, em 1912, a cidade tornou-se Rio Branco, nome do diplomata que negociou o Tratado de Petrópolis, que incorporou o Acre ao Brasil.

4. Rio Branco transformou-se em cidade em 1913.

5. Os seringueiros habitam as terras do Acre. Eles retiram da mata tudo do que precisam para sobreviver: madeira para a construção de casas, palha para os telhados, terra para o plantio de arroz, mandioca, milho e feijão. Sustentam-se com a venda da seringa e da castanha.

6. O Estado foi o último estado do Brasil a ser efetivamente povoado.

7. O povoado da Serra da Moa, na fronteira com o Peru, é o último no Brasil a ver o pôr-do-sol. Lá, há um fuso horário de duas horas a menos do que o horário de Brasília.

8. Em sua breve história, o estado já ganhou alguns apelidos: Extremo do Brasil, Estado das Seringueiras, Estado do Látex e Extremo Oeste.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro das novidades do comércio exterior.  😉

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex.