Exportações do Brasil para os Estados Unidos

O Estados Unidos é um dos principais parceiros comerciais do Brasil. Em 2019, o EUA ficou em 2º lugar no Ranking dos Principais Destinos das Exportações Brasileiras, perdendo apenas para a China.

Os Estados Unidos está todavia entre os maiores exportadores do mundo, pois é uma das maiores economias do mundo. Suas áreas principais de exportação são os bens de consumo, bens de capital, alimentos, bebidas, derivados de petróleo, entre outros.

Os Conflitos entre Irã e EUA e todo esse clima tenso das últimas notícias nos desperta o interesse em conhecer as relações comerciais entre Brasil e Estados Unidos, assim como Brasil e Irã, não é mesmo?

Recentemente, escrevemos sobre as exportações e importações para o Irã. E no artigo de hoje, vamos falar sobre as Exportações do Brasil para Estados Unidos.

São Tópicos:

  • O que o Brasil exporta para os Estados Unidos
  • Balança Comercial Brasil e EUA
  • Relação Comercial EUA x Brasil
  • Conflito Irã x EUA

 

Fonte: ComexVis – Período de Janeiro a Novembro 2019

 

O que o Brasil exporta para os Estados Unidos

Lista dos principais produtos exportados pelo Brasil para o EUA:

Produto Exportado

Valor Fob

1 Óleos brutos de Petróleo US$ 2,79 Bilhões
2 Produtos semimanufaturados de ferro ou aço US$ 2,57 Bilhões 
3 Aviões  US$ 1,81 Bilhões 
4 Demais produtos manufaturados US$ 1,47 Bilhões 
5 Gasolina US$ 1,13 Bilhões 

Podemos então ver que o principal ainda é o petróleo seguidos por produtos semimanufaturados de ferro ou aço. Sendo que o óleo de petróleo representou até novembro 2019 cerca de 10% das exportações.

De qualquer maneira, note que a Pauta de Exportação Brasil x Estados Unidos é muito diversificada, conforme imagem acima. 

Balança Comercial Brasil e EUA

A balança comercial entre Brasil e Estados Unidos tem variado bastante nos últimos anos, em matéria feita pelo G1 mostra que os estados Unidos arrecadou então cerca de US$ 352 milhões com o Brasil até agosto de 2019, porém com o passar dos meses acabou registrando um deficit. Em 2018, as importações brasileiras superaram a marca das exportações fazendo com que o país perdesse US$ 839 milhões. Em 2017 o saldo foi positivo para o Brasil, rendendo então cerca de US$ 922 milhões. Já em 2016 e 2015 os americanos foram quem receberam mais, US$ 543 milhões e US$ 2,1 bilhões, respectivamente. 

 

Veja a seguir dados de janeiro a novembro mais precisos da balança comercial dos EUA com relação ao Brasil.

Podemos ver que temos um déficit de US$ -1.016,44 milhões até o mês de novembro 2019.

Relação Comercial EUA x Brasil

As relações comerciais entre Brasil e Estados Unidos tem sido uma prioridade do governo de Jair Bolsonaro desde a sua posse em 2019, as disputas entre EUA e China ainda no ano passado acabaram colocando o Brasil em uma posição complicada ao ter de escolher um lado entre as duas economias. Durante encontros feitos com o presidente Donald Trump foram discutidas algumas pautas conjuntas entre os dois países em si. O governo Bolsonaro sempre deixou bem claro as suas intenções de ampliar as relações entre as duas economias, porém a China continua sendo o maior parceiro comercial do Brasil.

As relações entre Brasil e EUA não vem de hoje não, o governo americano foi um dos primeiros a reconhecer a independência brasileira lá no ano de 1824, EUA já foi o principal parceiro comercial do Brasil, mas claro que com o passar dos anos isso acabou mudando um pouco por conta da diversificação de produtos e etc.

Na primeira metade do século 20, o comércio entre os dois países era o mais importante para a economia brasileira. Mas com a diversificação do comércio exterior, e destinos e produtos, a relação perdeu importância.

As relações econômicas entre Brasil e Estados Unidos passaram por uma série de mudanças no século XX. De políticas que privilegiavam o alinhamento automático e o estabelecimento de preferências comerciais em relação aos Estados Unidos, o Brasil passou, gradativamente, para uma posição de busca por maior autonomia em relação aos norte-americanos. Atualmente, a manutenção de um relacionamento privilegiado entre os dois países encontra-se em perigo.

Irã x EUA

Um bombardeio ordenado pelo presidente dos EUA Donald Trump acabou por matar o General Qassem Soleimani chefe de milícia iraquiana apoiada pelos iranianos, o ataque foi feito por meio de um drone em Bagdá. Qassem era um dos homens mais poderosos do Irã, os EUA confirmaram que o ataque foi ordenado por Tramp segundo nota do G1, mas claro que o Irã não irá deixar isso de lado e já prometeu vingança.

Essa crise entre os dois países não vem de hoje, ela começou lá na década de 1950, porém acabou se intensificando ainda mais no ano passado (2019), se aprofundou em junho passado, quando dois petroleiros, um norueguês e outro japonês, foram atingidos por torpedos no golfo de Omã, uma área próxima ao Estreito de Ormuz, de onde sai um quinto do petróleo consumido no mundo. 

No 08/01/2020 Trump fez declarações onde deixou claro sua vontade em fazer um acordo nuclear com o Irã, capaz de impedir o país de desenvolver armas nucleares, e de atuar com Teerã no combate a células remanescentes do Estado Islâmico no Oriente Médio, para assim impedir retaliações. Em sua declaração, Trump não mostrou arrependimento algum, pelo fato ocorrido no Irã.

 

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro das novidades do comércio exterior.  😉

Resumo

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex.

👉🏻 E-book Grátis: Conheça todos Incoterms 2020 - nova versão