Exportações para o Japão

Em 2019, 2,41% das Exportações Brasileiras foram destinadas para o Japão. Dessa forma,  o Japão foi o 5º colocado no ranking das exportações do Brasil. 

Mas você sabe quais produtos o Japão compra do Brasil? Neste artigo, veremos quais são os Principais Produtos Exportados do Brasil para Japão

 

Principais Produtos Exportados para Japão em 2019

Confira a Lista dos 10 Produtos que o Brasil exporta para Japão:

  Produtos Exportados Japão Valor FOB US$
Minérios de ferro e seus concentrados 113,98 Milhões
Celulose 72,46 Milhões
Café em grãos 50,96 Milhões
Carne de frango 48,78 Milhões
Milho 29,7 Milhões
Farelos e resíduos da extração do óleo de soja 23,68 Milhões
Ferro-ligas 22,12 Milhões
Alumínio 16,62 Milhões
Madeiras em estilhas ou partículas 10,23 Milhões
10º Maquinas e aparelhos para terraplanagem, perfuração etc. 6,39 Milhões

Fonte: Comexstat no período de Janeiro a Dezembro de 2019.

Como podemos ver na tabela acima o principal produto exportado foi o Minério de ferro que correspondeu no ano de 2019 a basicamente 25% de todas as exportações pelo país, seguida da celulose e café em grãos.

Para ilustrar:

Exportações Brasileiras para o Japão

O Brasil exportou para o Japão em 2019 o valor total de 5,41 Bilhões, sendo o Minério de Ferro o principal dos produtos. A projeção é de que em 2020 o milho suba de colocação se tornando um dos três principais produtos exportados para o país.

A balança comercial de 2019 das exportações para o Japão fecharam com superávit de 1.337,67 Milhões. Ou seja, neste período Exportamos mais do que importamos do Japão.

Percebemos na imagem acima que o Japão além de estar entre os maiores exportadores, está também esta entre os maiores importadores do mundo ficando na 9ª colocação.

Comparado ao ano de 2018 as exportações para o país japonês tiveram um acréscimo bastante alto, pois no ano fechou em nono lugar nas exportações com um deficit de -34,1 milhões, o que significa que em 2018 importamos mais do que exportamos.

Economia Japonesa

O Japão é a terceira maior economia do mundo.

economia do Japão avançou grandiosamente logo depois da Segunda Guerra Mundial. Ao sair da guerra derrotado, o país recebeu então ajuda financeira vinda dos norte-americanos para se reerguer.
Na década de 1970, o Japão fez então investimentos no desenvolvimento industrial e tecnológico e tornou-se, nessa mesma época, uma grande potência econômica no mundo.
Durante as décadas de 1980 e 1990, a economia do Japão assumiu todavia um posto de extrema relevância, o suficiente para fazer o país ocupar o segundo lugar como o mais rico do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos.
Dos fatos que contribuíram para que a economia do Japão ganhasse destaque em relação aos demais países do continente asiático, foi a presença dos norte-americanos logo após a derrota dos japoneses na Segunda Grande Guerra.
O país passou a ser referência na  produção e exportação de automóveis, artigos eletrônicos e objetos de informática. Atualmente, a economia do Japão é baseada na metalurgiasiderurgiaprodução naval, notáveis empresas multimarcas, sólido sistema bancário, entre outros fatores.
Outro ponto bem desenvolvido no Japão é a infraestrutura, em especial os portosrodoviasgeradores de energia. Devido aos altos salários pagos pelas empresas, essa sociedade possui então um elevado poder de consumo, contribuindo com o desenvolvimento do mercado interno.
Existe um alto índice de exportação no país, principalmente dos produtos industrializados. No entanto, as grandes importações de matérias-primas e mercadorias agrícolas são necessárias, pois o território japonês é pequeno, fazendo com que a agricultura seja escassa.  As reservas de recursos minerais são poucas.

O PIB (produto interno bruto) do país em 2017 era de 4,872 trilhões USD (2017).

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro das novidades do comércio exterior.  😉

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex.