Exportações brasileiras para o Panamá

Hoje, falaremos sobre as exportações brasileiras para o Panamá, um país que liga a América do Sul com a América Central, além de ter um marco na engenharia: há um corte no centro do país, o qual liga os oceanos Atlântico e Pacífico e cria uma excelente rota de navegação de transportes marítimos.

Em 51º lugar no ranking de exportação no Brasil, o Panamá tem um forte laço nas compras do Brasil.

Chegou a hora de explorarmos as exportações para o Panamá. Pegue o teu café e vem comigo! ☕

Imagem: Foto / Freepik

Exportações brasileiras para o Panamá: dados

Entre janeiro e outubro de 2020, o Brasil exportou US$ FOB 372,8 milhões em produtos para o Panamá, o que configura uma queda de -78,3% com relação ao mesmo período de 2020, resultando no salto de posições do ranking, que antes era 30º lugar e agora está em 51º — diferentemente da importação no Brasil, que aconteceu o inverso: uma grande alta na compra dos produtos panamenhos.

Atualmente, o Panamá tem participação em 0,2% das exportações brasileiras e a balança comercial do Brasil e Panamá contempla um superávit de US$ FOB 275,1 milhões, o que significa que o Brasil mais exporta do que importa.

Abaixo, confira uma ilustração da balança comercial Brasil x Panamá:

Imagem: Ilustração. Comex Stat.

Principais produtos exportados do Brasil para o Panamá

Abaixo, confira os principais produtos exportados do Brasil para o Panamá:

  1. Óleos combustíveis de petróleo
  2. Outros medicamentos
  3. Demais produtos – Indústria da Transformação
  4. Medicamentos e produtos farmacêuticos
  5. Outras máquinas e equipamentos

Com o setor Indústria da Transformação em peso, os óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos apareceram em 1º lugar no ranking, com 47% e US$ FOB 175 milhões.

Em 2º lugar, outros medicamentos, incluindo veterinários, com 4,8% e totalizando uma receita de US$ FOB  17,9 milhões.

Demais produtos – Indústria da Transformação aparecem na 3ª posição, com uma participação nas exportações do Brasil para o Panamá de 4,4% e representam US$ FOB 16,6 milhões.

Por fim, em 4º e 5º lugar, medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (2,5%)  e outras máquinas e equipamentos (2,3%), que configuram US$ FOB 9,16 milhões e US$ FOB 8,41 milhões, respectivamente.

Abaixo, confira uma ilustração dos principais produtos exportados em 2020:

Imagem: Ilustração. Comex Stat.

A participação do Panamá na ALADI

Em 10 de maio de 2012, a República do Panamá passou a ser o 13º país-membro da ALADI.

A Associação Latino-Americana de Integração – ALADI foi instituída em 1980 pelo Tratado de Montevidéu e incorporado ao ordenamento jurídico nacional pelo Decreto Legislativo nº 66/1981. A ALADI busca dar continuidade ao processo de integração econômica iniciado em 1960 pela Associação Latino-Americana de Livre Comércio – ALALC. Este processo visa a implantação, de forma gradual e progressiva, de um mercado comum latino-americano, caracterizado principalmente pela adoção de preferências tarifárias e pela eliminação de restrições não-tarifárias.

Em média, nos últimos cinco anos, os países da ALADI foram destino de 20% do total das exportações brasileiras e origem de 15% das nossas importações. Esses números representam a importância da ALADI para o comércio exterior brasileiro.

👉 Conheça os países participantes, acordos muito mais sobre a ALADI em nosso artigo.

 

E aí, gostou deste artigo? Então, inscreva-se no nosso blog e fique por dentro das novidades de Exportação, Importação e Drawback. 😉

Resumo

O que o Brasil exporta para o Panamá?

O Brasil, em 2020, exportou para o Panamá, em suma, os produtos: óleos combustíveis de petróleo, outros medicamentos, demais produtos - Indústria da Transformação, medicamentos e produtos farmacêuticos e outras máquinas e equipamentos.

O Panamá faz parte de algum acordo comercial?

O Panamá faz parte da Associação Latino-Americana de Integração. Em 10 de maio de 2012, a República do Panamá passou a ser o 13º país-membro da ALADI. 

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

Tenha o roteiro de elaboração da DU-E em mãos!