FCL e LCL: qual a diferença

FCL e LCL são dois termos do transporte marítimo utilizados com frequência no comércio exterior. Mas afinal, FCL e LCL: qual a diferença entre eles?

Vamos ver o que significam e qual a distinção entre eles? 😉

O que significa FCL?

FCL significa Full Container Load (contêiner totalmente carregado), ou seja, é quando o importador ou exportador utilizará totalmente o container. Isso significa acesso a todo o espaço disponível dentro da unidade. Além disso, ao utilizar o FCL, será pago um valor fixo pelo frete do contêiner.

A modalidade FCL é utilizada quando o importador ou exportador possui mercadorias suficientes para acomodar em um (ou mais) container(es). Em uma carga FCL, o container possui um único consignatário. Há casos também em que a empresa não possui carga para preencher todo o contêiner, mas a contratação FCL proporciona economia de escala.

O que significa LCL?

LCL significa Less Container Load (menos do que uma carga de contêiner), ou seja, é quando o exportador ou importador não possui carga suficiente para preencher um container. Dessa forma, vários embarques LCL são consolidados em um contêiner compartilhado, possibilitando a obtenção do baixo custo do frete marítimo ainda que o importador / exportador não possua um grande volume de operação.

Empresas que desejam exportar ou importar quantidades menores de estoque podem pagar pelo volume de espaço usado em um contêiner (LCL), ao invés de alugar o contêiner inteiro. O LCL também possibilita que transitários, agentes de cargas e NVOCC contratem o frete de um container inteiro, e o revenda em lotes menores para importadores / exportadores com menos carga. Dessa forma, o LCL é uma opção muito vantajosa para quem traz baixos volumes ou está começando.

Imagem: Ilustração / Us Cargo Link

FCL e LCL no Conhecimento de Embarque (B/L)

As siglas FCL e LCL também determinarão a responsabilidade pela unitização e desunitização, bem como pelos custos respectivos, no contexto do Bill of Lading (B/L), pelas siglas a seguir:

  • FCL/FCL: unitização sob responsabilidade do exportador e desunitização sob responsabilidade do importador;
  • LCL/LCL: unitização e desunitização sob responsabilidade do transportador;
  • FCL/LCL: unitização sob responsabilidade do exportador e desunitização sob responsabilidade do transportador; e
  • LCL/FCL: unitização sob responsabilidade do transportador e desunitização sob responsabilidade do importador

As modalidades de movimentação, assim como a responsabilidade pela unitização / desunitização, estão diretamente ligadas ao Incoterm, definidos pela International Chamber of Commerce – ICC, utilizado na transação comercial. É importante negociar corretamente essas cláusulas, principalmente para não incorrer em demurrage ou outras despesas não previstas.

👉🏼 Aproveite e confira nosso artigo sobre os Principais Portos Brasileiros.

FCL e LCL: vantagens e desvantagens

A escolha entre FCL e LCL dependerá sempre do que é mais adequado às necessidades do comprador / vendedor. Frequentemente, dependendo do tamanho e do volume da carga, uma modalidade será mais vantajosa que a outra. 

Basicamente, deve-se levar em conta primeiramente o tamanho / peso da carga. No caso da mercadoria não ocupar sequer a metade de um contêiner, deve-se considerar a contratação do frete LCL, o qual é bem mais barato já que se paga proporcionalmente pelo espaço do contêiner contratado.

É importante saber que a reserva de um contêiner completo FCL oferece economia real, pois unitizar (encher) ou quase encher um contêiner de 20‘ ou 40’ significa menos envios no geral. Logicamente, para isso, a cadeia de produção do exportador / importador deve ser flexível o suficiente para enviar grandes volumes em intervalos maiores. Existem também vantagens de segurança para o envio de um contêiner inteiro. Normalmente, a carga LCL exige manuseio adicional de carga na origem e no destino. Como o FCL garante que sua carga é transportada sem contato com cargas de terceiros, esta modalidade reduz bastante o risco de perdas, extravios e avarias. Caso se trate de uma carga frágil ou muito valiosa, talvez seja melhor optar pelo FCL mesmo que a carga não seja grande o bastante para ocupar o contêiner inteiro. Dependendo do tipo de mercadoria, até mesmo o setor de qualidade da empresa exige que a carga seja única no contêiner.

A modalidade FCL usualmente também oferece um tempo de trânsito mais rápido em comparação com a remessa LCL, tendo em vista o tempo adicional de manuseio necessário para preencher completamente o contêiner compartilhado. O fato é que tanto na origem quanto no destino ganha-se alguns dias devido ao menor manuseio da carga FCL.

FCL e LCL: qual a diferença

FCL

LCL

Mais rápido na disponibilização da carga Maior demora na disponibilização da carga
Maior risco de demurrage Menor risco de demurrage
Maior segurança da carga (avaria ou extravio) Menor segurança da carga (avaria ou extravio)
Melhor custo / benefício para importadores / exportadores com grande volume de operações Melhor custo / benefício para importadores / exportadores com pequeno volume de operações

>> Leia também sobre Peak Season

E ai, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

Resumo

O que significa FCL?

FCL significa Full Container Load (contêiner totalmente carregado), ou seja, é quando o importador ou exportador utilizará totalmente o contêiner. Isso significa acesso a todo o espaço disponível dentro da unidade. Além disso, ao utilizar o FCL, será pago um valor fixo pelo frete do contêiner.

O que significa LCL?

LCL significa Less Container Load (menos do que uma carga de contêiner), ou seja, é quando o exportador ou importador não possui carga suficiente para preencher um contêiner. Dessa forma, vários embarques LCL são consolidados em um contêiner compartilhado, possibilitando a obtenção do baixo custo do frete marítimo ainda que o importador / exportador não possua um grande volume de operação.

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex Tecnologia para comércio exterior.

Tenha o roteiro de elaboração da DU-E em mãos!