Principais Produtos Exportados pelo Maranhão

Já falamos de alguns estados e seus respectivos produtos exportados, alguns deles foram São Paulo, Santa Catarina, Rio grande do Sul, entre outros, dê uma olhadinha aqui no blog.

No artigo de hoje, falaremos sobre as Exportações do Maranhão. Confira os Principais Produtos exportados pelo estado do Maranhão.

Principais Produtos Exportados pelo Maranhão

Vamos descobrir o que o Maranhão exporta.

  1. Óxidos e hidróxidos de alumínio;
  2. Soja mesmo triturada;
  3. Celulose;
  4. Minérios de ferro e seus concentrados;
  5. Ferro fundido bruto e ferro spiegel;
  6. Milho em grãos;
  7. Demais produtos semimanufaturados;
  8. Algodão em bruto;
  9. Produtos semimanufaturados de ferro ou aço; e
  10. Carne de bovino congelada, fresca ou resfriada.

 

Detalhes de cada um destes produtos:

01) Óxidos e hidróxidos de alumínio

Na nossa primeira colocação aqui neste artigo vem óxidos e hidróxidos de alumínio representando 35% das exportações de Maranhão. Teve uma queda bastante considerável do ano de 2018 até agora, pois em 2018 representava em torno de 42% das exportações do local.

02) Soja mesmo triturada

A soja aparece na nossa segunda colocação, correspondendo a basicamente 23% das exportações do estado do Maranhão, teve uma variação negativa se comparada ao mesmo período do ano de 2018 quando correspondia a 27% das exportações.

03) Celulose

A celulose é um carboidrato do tipo polissacarídeo abundante nos vegetais e por isso, comum na natureza. Ela consiste até 50% da composição da madeira. Representa então no ano de 2019 um total de 20% das exportações locais.

04) Minérios de ferro e seus concentrados

Na nossa quarta colocação vem então os minérios de ferro e seus concentrados representando 8,7% das exportações, teve uma variação muito positiva se comparada ao no de 2018 quando correspondia a pouco mais de 1% das exportações.

05) Ferro fundido bruto e ferro spiegel

Acabou o ano de 2018 representando 3,3% das exportações de Maranhão, mas em 2019 até novembro já aparece representando 4% das exportações totais do estado.

06) Milho em grãos

A exportação do milho em 2019 teve grande destaque no país e portanto, no estado do Maranhão não poderia ser diferente, por aqui ele ficou na nossa sexta colocação, correspondendo a mais ou menos 2,9% das exportações do estado.

07) Demais produtos semimanufaturados

São produtos em parte industrializados, ou seja, que precisam passar por outras fases de processamento até chegar a sua forma final. Representam das exportações totais de Maranhão 2,7%.

08) Algodão em bruto

O algodão não teve muitas mudanças de 2018 para cá apesar de ter crescido muito pouco se comparado, mas no momento aparece representando 1,2% das exportações maranhenses.

09) Produtos semimanufaturados de ferro ou aço

Na nossa nona colocação vem então os produtos semimanufaturados de ferro ou aço que tiveram uma variação positiva com cerca de 35% de 2018 para 2019, neste momento aparece representando 0,54% das exportações do estado.

10) Carne de bovino congelada, fresca ou resfriada

Na nossa última colocação vem as exportações de carnes bovinas correspondendo a basicamente 0,43% das exportações locais o que nos faz perceber então uma variação negativa se comparada ao ano anterior.

 

Economia do Maranhão

Localizado no oeste da região Nordeste, o Maranhão possui extensão territorial de 331.935,507 km², divididos em 217 municípios. Conforme contagem populacional realizada em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o estado totaliza 6.574.789 habitantes.

Durante muitas décadas, o Maranhão esteve praticamente isolado do restante dos estados brasileiros, porém, a partir dos anos de 1960 e 1970 foram desenvolvidos projetos de infraestrutura, sendo construídas linhas férreas e rodovias. O estado foi interligado a outras regiões do Brasil, fato que proporcionou o escoamento da produção e consequente desenvolvimento econômico. Houve investimentos na agropecuária, extrativismo vegetal e mineral, estimulados por incentivos fiscais.

Foram desenvolvidos grandes projetos de criação de gado, plantação de soja e arroz e de extração de minério de ferro, como por exemplo, Carajás. Essas atividades alavancaram a economia do Maranhão, no entanto, intensificaram as desigualdades sociais, aumentaram a concentração fundiária e provocaram vários problemas ambientais.

A contribuição maranhense no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil continua baixíssima, apenas 1,3%. A participação dos principais setores da economia estadual é a seguinte:

  • serviços – 63,5%;
  • agropecuária – 18,6%;
  • indústria – 17,9%.

A indústria, que representa então 17,9% do PIB maranhense, baseia-se nos setores: metalúrgico, madeireira, extrativismo, alimentício e químico. Na agricultura, destacam-se os cultivos de cana-de-açúcar, mandioca, soja, arroz e milho. Com uma costa litorânea de 640 quilômetros, a segunda mais extensa do país, apresentando-se inferior apenas à Bahia, o Maranhão tem na pesca, importante atividade econômica. O turismo é outro segmento fundamental para a economia estadual, as belas praias, os Lençóis Maranhenses, além do turismo cultural e religioso, atraem milhares de visitantes.

 

Balança Comercial do Maranhão

De janeiro a novembro de 2019, a balança comercial apresentou déficit de -180,75 milhões, o resultado aferido representa assim um forte recuo em relação ao mesmo período de 2018. 

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre comércio exterior. 😉

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex.