Entenda mais sobre os Pilares da Importação

Sendo um dos eixos fundamentais para as etapas do comércio exterior, inclusive para quem atua em Comissárias de Despacho, as importações são atividades relacionadas com a entrada de produtos, bens ou serviços em um país.

Elas podem envolver a compra. E o texto de hoje vai abordar os 5 pilares da Importação, você sabe quais são?

Se ainda não conhece quais são, pegue o seu café e continue conosco!

Neste artigo você verá os seguintes tópicos:

  • Pilares da Importação: entenda
  • 5 pilares da importação: Saiba mais
  • Principais Documentos para Importação
  • Habilitação no Radar
  • O que é o Novo Processo de Importação (NPI)?
  • O que é DUIMP?
  • O que é Comissária de Despacho?

Vamos lá? 😉

Pilares da Importação

5 Pilares da Importação: Saiba mais

Como você já sabe, as importações correspondem a importantes atividades de compra do comércio exterior e afetam diretamente a economia dos países envolvidos. Essas atividades exercem enorme influência na economia de um país, indicando suas potencialidades em diversos setores e estão diretamente ligadas a atuação em uma Comissária de Despachos.

Os processos de Importação representam muito sobre a economia do seu país também. Listamos os 5 pilares da Importação. 

Podemos entender que o processo de importação está dividido em 5 pilares, sendo eles:

  1. Diagnóstico Administrativo
  2. Planejamento Logístico
  3. Monitoramento da Operação
  4. Execução da Operação
  5. Documentação

No Diagnóstico Administrativo, são levantadas informações sobre a classificação fiscal, as exigências administrativas, se há obrigatoriedade de licenciamento prévio de registro do produto e/ou empresas, e a carga tributária.

O Planejamento Logístico é o momento em que o importador juntamente com os seus prestadores de serviços contratados, irão organizar o embarque da mercadoria, seja aéreo ou marítimo.

O Monitoramento Operacional é o momento em que o importador acompanha o embarque, até a chegada no porto/aeroporto de destino. Aqui, todas as etapas pensadas e executadas na fase anterior são acompanhadas junto com o agente de carga e também com o despachante aduaneiro.

Na Execução Operacional o importador vai confirmar a chegada da mercadoria e promover com as obrigações alfandegárias. Normalmente ele contrata um despachante aduaneiro, que já está acompanhando o processo desde o Planejamento Logístico, para agora cumprir as obrigações aduaneiras, no menor tempo possível e dentro do custo estimado.

Documentação: O Brasil precisa ter o controle daquilo que entra e sai do país e para isso tem algumas burocracias que precisam ser seguidas. É preciso estar dentro dos prazos e evitar embarcar mercadorias com documentos vencidos, o que pode gerar futuros transtornos.

Principais Documentos para importação

👉 Conheça a lista dos principais documentos necessários realizar uma importação:

  1. Certificado de origem (CO)
  2. Packing List ou Romaneio de Carga
  3. Fatura Proforma ou Proforma Invoice
  4. Fatura Comercial ou Commercial Invoice
  5. Conhecimento de embarque
  6. Licenciamento de Importação (LI)
  7. Declaração de Importação (DI)

Habilitação no Radar

Para começar a importar, a empresa necessita estar com a Habilitação no Radar ativa. O RADAR é Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros.  

O Radar é o primeiro passo para quem deseja operar com negócios internacionais. Através desta habilitação, você prova que a sua empresa está devidamente constituída e legalizada, ou seja, com  as condições essenciais para que ela possa passar a importar.

O que é o Novo Processo de Importação (NPI)?

O Novo Processo de Importação, ou simplesmente NPI é o Projeto do Governo de reestruturação, simplificação e desburocratização das Importações Brasileiras. O Portal Siscomex é um dos instrumentos do NPI, no qual temos uma reestruturação de documentos eletrônicos tais como: a DUIMP, o Catálogo de Produtos, Cadastro de Operador Estrangeiro, LPCO, Pagamento Centralizado e outros.

Mas não ficando só nisso, e passando também por mapeamento, reestruturação de normas, processos e legislações.

O que é DUIMP?

A DUIMP – Declaração Única de Importação é o documento eletrônico que reúne todas as informações de natureza aduaneira, administrativa, comercial, financeira, tributária e fiscal pertinentes ao controle das importações pelos órgãos competentes da Administração Pública brasileira na execução de suas atribuições legais.

Portanto a DUIMP substituirá a DI (Declaração de Importação) e também a DSI (Declaração Simplificada de Importação).

👉 Já a LI, Licença de Importação será substituída pelo LPCO na importação (Licenças, Permissões, Certificados e Outros Documentos).

Como já mencionamos, fazendo parte do Novo Processo de Importação (NPI), a DUIMP está com outros quatro módulos, que inclui:

  1. LPCO
  2. Catálogo de produtos
  3. Pagamento Centralizado
  4. Operador estrangeiro

O que é Comissária de Despacho?

Agora que já falamos dos pilares da importação, vamos entender a atuação da Comissária de Despacho. É a Comissária de Despachos que auxiliará no planejamento dos cálculos prévios, da classificação do produto, suas alíquotas e seus regimes especiais. São estes profissionais que auxiliam o cliente em todas as condições necessárias para garantir o sucesso e a excelência nos trâmites aduaneiros.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro de mais notícias sobre exportação, importação e drawback. 😉

Sinara Bueno
Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex. É co-founder da Fazcomex

E-book: Pagamento centralizado e licença de importação