Como exportar produtos: Passo a passo

A gente já falou sobre alguns temas relacionados a exportação aqui no blog e hoje vamos falar sobre como exportar produtos.

A exportação é uma das melhores escolas da competitividade pois com ela, a empresa será obrigada a qualificar muito mais o pessoal, a inovar processos, a melhorar a comunicação e promoção a investir em desenho, aprimorar embalagens, etc. 

A exportação traz muitas vantagens entre elas estão o aumento no movimento da economia mundial, aumento da capacidade inovadora, aperfeiçoamento de recursos humanos entre outros, exportar também é a garantia de uma melhoria nos produtos que irão ser exportados, pois a partir do momento que o produto entra no mercado internacional a empresa estará suscetível a exigências feitas pelo mercado local. 

Em resumo, a exportação assume grande relevância para a empresa por ser o caminho mais eficaz para garantir o seu próprio futuro em um ambiente globalizado cada vez mais competitivo, que exige das empresas brasileiras plena capacitação para enfrentar a concorrência estrangeira, tanto no país como no exterior. 

Para o Brasil, a atividade exportadora tem também importância estratégica, pois contribui para a geração de renda e emprego, para a entrada das divisas necessárias ao equilíbrio das contas externas e para a promoção do desenvolvimento econômico.

Vamos conhecer no artigo de hoje quais são todos os passos para realizar uma exportação dentro dos trâmites legais.

Quem pode exportar?

Para exportar é preciso estar atento no mercado internacional e a empresa precisa estar dentro da legalidade, além disso a empresa precisa estar habilitada no Portal Siscomex, para que a Receita Federal possa acompanhar como a empresa está dentro do Comércio Internacional.

Mais do que isso, a empresa precisa conhecer profundamente todos os passos para exportar e estar preparada para poder exportar.

 

Passo a passo na hora da exportação

1) Juntar a documentação necessária

 A documentação é uma parte de extrema importância para que a exportação ocorra de acordo com os trâmites aduaneiros. Por ser um processo internacional a lista de documento é bastante longa, mas se a sua empresa está sem nenhuma pendência fiscal, será relativamente fácil obter todos os documentos necessários sem muita dor de cabeça.

Os principais documentos necessários em um processo de exportação são:

  • Cadastro como exportadora no RADAR/Siscomex;
  • Registro de intenção de compra por parte do importador;
  • Contrato de câmbio;
  • Modelos de fatura pró-forma; e
  • Documentos do contrato de exportação.

Além disso, alguns produtos que você irá exportar necessitam de documentos específicos.

2) Elaborar uma estratégia integrada para exportar

Uma vez que as formalidades foram cumpridas, é necessário elaborar uma estratégia sólida e integrada de exportação. Nesse sentido, deve-se entender sobre a cultura de importação do país de destino da carga, assim como a sua legislação aduaneira e quais as precauções a se tomar para que a carga seja admitida no país sem qualquer problema.

Essa etapa também é fundamental para garantir que você tenha então uma margem de lucro favorável dentro do processo de exportação. É nela que você vai conhecer os custos envolvidos no processo de exportação, assim como definir qual a melhor rota e modal de transporte para que a sua carga chegue com segurança e dentro do prazo estipulado.

Por se tratar de uma cultura diferente, é importante contar com o auxílio de um agente de carga para te guiar durante este processo, fornecendo todas as informações pertinentes à exportação da sua carga e assegurando o custo-benefício da operação.

3) Fazer cadastro no Siscomex para poder exportar

Uma vez que sua empresa esteja regularizada perante o fisco, a Sefaz do seu estado e a Junta Comercial (Jucerja), é necessário fazer o cadastro como exportadora no Registro de Habilitação no Ambiente de Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros (RADAR).

Dependendo do tipo de mercadoria que sua empresa exportar, pode ser necessário fazer o registro em um dos sistemas específicos que constam no site do Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex).

4) Conhecer os Incoterms

Quem trabalha com Comércio Exterior já ouviu falar dos incoterms e nós aqui do blog temos alguns artigos sobre o assunto, onde explicamos cada um deles. Eles são 11 ao todo e cada um tem um fim específico. Conheça também a versão 2020 dos Incoterms.

5) Explorar os incentivos fiscais

Se você pretende exportar os seus produtos, então precisa estar familiarizado com o termo drawback, um incentivo fiscal que pode beneficiar exportadores que utilizam insumos vindos do exterior para produzir as suas mercadorias.

Insumos comprados e enquadrados em drawback possuem isenção de tributos aduaneiros e impostos como IPI e ICMS, o que pode representar uma redução significativa dos custos de exportação, independentemente do país de origem do produto. Portanto, não esqueça de certificar se as suas mercadorias se enquadram nessa classificação antes de iniciar o processos de exportação.

6) Diferenciar o seu produto

Dependendo do país para onde você está enviando seus produtos é bom ter uma base e saber se não irá apenas ser mais do mesmo. A Apex Brasil disponibiliza um acesso no seu site onde é possível ter uma noção sobre isso.

7) Realizar follow-up após o embarque

É muito importante seguir acompanhando a carga mesmo após ter recebido a confirmação de embarque. Esse acompanhamento é fundamental para assegurar que a carga chegará ao seu destino final e dentro dos prazos estipulados.

Caso você identifique algum problema durante essa etapa, você poderá então tomar as devidas providências junto aos envolvidos na operação, seja acionando o seguro da carga, informando o cliente sobre a real situação ou providenciando a documentação necessária para liberação alfandegária. 

O follow-up é importantíssimo para perceber as falhas a tempo e isso evita os erros futuros.

É bom estar sempre dentro de todos os passos para não cometer erros na hora de exportar o seu produto para fora do país, então faça um check list com cada um deles para não se perder e cometer erros.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva no nosso blog e fique por dentro das novidades do comércio exterior. 😉

Sinara Bueno

Despachante Aduaneira, formada em Comércio Exterior e empreendedora. Apaixonada por criar e inovar no Comex! Trabalhou na área de importação e exportação de indústrias, consultorias de comércio exterior e, nos últimos anos, tem se dedicado aos sistemas para comex.

E-book Grátis: Como Emitir a Nota Fiscal de Exportação do Jeito Certo para a DU-E